‘Outubro do Teatro’ apresenta programa especial para criança

Por - em 24

A criançada de João Pessoa vai desfrutar de uma programação pra lá de especial dentro do projeto ‘Outubro do Teatro’ durante toda esta semana, com a ‘VIII Mostra de Teatro Infantil Ednaldo do Egypto’. O evento acontece até o próximo domingo (14) no Teatro Ednaldo do Egypto, que fica na rua Maria Rosa, no bairro de Manaíra.

No ‘Dia da Criança’, próxima sexta-feira (12), a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) apresenta às 17h dentro da mostra, uma sessão aberta para o público com a peça convidada ‘Cinderela por Lasanha e Ravioli’, do Rio de Janeiro. No sábado (13), no mesmo horário e com entrada franca, sobe ao palco a ‘Companhia Boom da Cena’ apresentando ‘A ver estrelas’. Encerrando a mostra no domingo (14), a criançada vai poder assistir ‘O gato de botas’, espetáculo encenado pelo ‘Grupo Tenda’.

O enredo – A história de ‘Cinderela’ é contada sob a ótica de dois palhaços ‘Lasanha’ e ‘Ravioli’ e em uma circunstância especial: trata-se de uma estréia. Dessa forma, através de um conto conhecido e amado pelas crianças, aborda-se também um outro universo, divertido e cheio de estímulos, o universo do teatro e tudo o que ele envolve: o cenário, os figurinos, a luz, a sonoplastia, a relação com o público, o nervosismo de uma estréia, as confusões de coxia, o prazer de atuar e a enorme solidariedade necessária para que tudo isto aconteça. Ao mesmo tempo, apesar de tantas interferências, a história da peça se desenvolve com clareza, mantendo-se fiel à essência e aos personagens do conto.

A história destes palhaços acompanha a trajetória de Ana Barroso e Mônica Biel, duas atrizes que, desde 1990, desenvolvem um trabalho dirigido para o público infantil baseado na literatura dos contos de fadas. Desta vez, optaram por Cinderela, em uma adaptação completamente livre do conto de Charles Perrault. Com este espetáculo, a dupla dá continuidade a um trabalho que já tem suas próprias características de linguagem: duas atrizes que se dividem em vários personagens, utilizam diversos recursos como máscaras, bonecos, figurinos elaborados, adereços, músicas e, principalmente, propõem um jogo aberto e participativo com as crianças.

O espetáculo começa com ‘Lasanha’ e ‘Ravioli’ no teatro, arrumando os adereços, verificando se está tudo certo com o cenário, checando os figurinos e conversando sobre a estréia de seu novo espetáculo, que se dará em poucos minutos. Estão nervosos e animados. O público entra, eles acabam de se vestir, se desejam boa sorte. Terceiro sinal. Começa o espetáculo. Trata-se da conhecida história de ‘Cinderela’, desta vez em uma versão especial, escrita e dirigida por ‘Lasanha’ e ‘Ravioli’, que ainda se dividem em todos os papéis.

Neste caso, a história de ‘Cinderela’ acontece paralelamente ao universo em que ela é representada. ‘Lasanha’ e ‘Ravioli’ estão sempre presentes entre as cenas e, muitas vezes, durante as cenas. As trocas de figurino são aparentes, de maneira que o espectador sabe quem fará o quê e quando. Além disso, trata-se de uma estréia confusa onde tudo pode acontecer: problemas de som, luz, texto, figurino. Mas eles são corajosos e enfrentam tudo com humor e rapidez.

O resultado é que as crianças assistem a dois espetáculos ao mesmo tempo, sem que um tire a clareza ou prejudique o desenvolvimento do outro. Como em outros espetáculos da dupla Ana Barroso e Mônica Biel, esse casamento entre o conto que está sendo apresentado e a circunstância desta apresentação permite fazer uma releitura despretensiosa dos contos de fadas.