“Paixão da Sagrada Família” é encenada até este domingo

Por - em 54

O período da Semana Santa em João Pessoa será movimentado devido a encenação do espetáculo ‘Paixão da Sagrada Família’, que acontece até este domingo (4), numa estrutura montada no Ponto de Cem Réis, com duas sessões: às 19h e às 21h. O evento, em sua quinta edição, é promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope). A encenação teve início na sexta-feira (2), neste sábado (3). Os organizadores projetam que cerca de 30 mil pessoas vão assistir ao espetáculo, que tem texto e direção de Antonio Deol.

O chefe da Divisão de Artes Cênicas da Funjope, Nanego Lira, disse que a expectativa para A Paixão da Sagrada Família é grande. “A novidade para esta edição é que, pela primeira vez, um grupo de teatro da cidade está à frente do projeto. Por este fato, acredito que a encenação deste ano trará uma versão inovadora e a expectativa é que um grande público assista ao espetáculo. Outra grande novidade é que, também pela primeira vez, o espetáculo acontece numa arena, no Ponto de Cem Réis”, completou.

O professor do Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Marcilio Onofre, responsável pela parte musical da encenação, disse que a música é um dos destaques. “A criação da música da ‘Paixão da Sagrada Família’ aconteceu paralelamente à marcação de cada cena do espetáculo. A música procurou incorporar sons e ritmos contemporâneos aliados a elementos musicais da tradição oriental e também ocidental”, explicou. “A utilização estilizada de materiais musicais próprios dessas duas culturas, como, por exemplo, escalas, ritmos, timbres e progressões harmônicas, serviram para pontuar os elementos de diferentes épocas e auxiliaram na caracterização das personagens, bem como na ambientação das cenas.

Cenário, Figurino e adereços – O cenário é composto por andaimes, biombos e um carrinho. Todos estes elementos são móveis e serão manipulados pelos atores dentro do espaço cênico. O figurino, criado por Tainá Macedo, remete à tradição oriental japonesa, uma vez que o espetáculo deste ano tem inspiração nos mangás japoneses.

Para dar conta das cerca de 150 peças que integram o figurino, a equipe conta com quatro costureiras e uma assistente, que trabalham diariamente para que tudo esteja pronto até esta quarta-feira (31). Já os adereços contam com apliques, armaduras, asas e calçados estilizados, além dos elementos cênicos, como a cruz e as taças, utilizando materiais como couro, tecidos bijuterias e elementos naturais, a exemplo dos bambus.

Mais de 150 profissionais estão envolvidos diretamente na produção do espetáculo, que conta com um elenco formado por 37 atores e atrizes, mais três do Grupo Graxa e 11 crianças, que também passaram por uma seleção, além dos 11 músicos e 12 cantores e cantoras, que executam a trilha sonora da encenação.

No espetáculo deste ano, a história da Paixão é contada a partir da ótica das relações familiares, em que a Sagrada Família (José, Maria e Menino Jesus) será a condutora dos eventos da vida, morte e ressurreição de Cristo. Na figura de narrador está um menino de nossos dias atuais, chamado Josué, que passará a visualizar os acontecimentos dos Evangelhos Sagrados através do poder de sua imaginação e do contato com quadrinhos japoneses (mangá).

Sobre o Diretor – Antonio Deol é especialista em Representação Teatral e mestrando em Artes Cênicas. Atua como diretor, ator e bailarino há mais de 15 anos. É um dos responsáveis pela formação do Grupo Graxa de Teatro, responsável pela elaboração do projeto Paixão da Sagrada Família.