Palestra conscientiza servidores da Saúde sobre a coleta seletiva

Por - em 25

A conscientização de cada pessoa sobre como separar o lixo corretamente e a mudança de comportamento são os principais desafios na implantação da coleta seletiva em uma organização. Essa foi a mensagem repassada para servidores da Secretaria Municipal de Saúde, durante palestra de sensibilização e implantação da coleta seletiva no ambiente de trabalho realizada na quinta-feira (18), na Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, localizada no Altiplano do Cabo Branco.

A Secretaria iniciou, no último dia 10, a implantação da coleta seletiva de lixo através do projeto ‘Santo de casa faz milagre – Na Saúde Lixo é Luxo’, coordenado pela Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) em parceria com a SMS e o Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba (Cefet-PB).

No encontro da quinta-feira, após a contextualização da problemática do lixo e a sua relação com o aumento populacional e o consumo, a diretora do Departamento de Valorização e Recuperação de Resíduos (Devar) da Emlur, Elma Xavier, alertou para a responsabilidade de cada pessoa com a destinação correta do lixo. Ela explicou que um simples papel de chiclete que compramos se for jogado na rua, por exemplo, ocasiona problemas como entupimento de galerias e alagamentos.

Virou lei – A educadora Elma Xavier afirmou que o projeto ‘Santo de casa faz milagre’ foi implantado em abril de 2007 na Emlur, sendo legitimado no mês de julho por uma Lei Municipal 11.104, que estabeleceu a implantação da coleta seletiva em todas as secretarias e autarquias municipais.

Ela destacou que atualmente todos esses órgãos municipais adotaram o processo, graças à estruturação com a instalação dos coletores e o trabalho de conscientização dos servidores sobre os benefícios desse tipo de coleta e como cada funcionário pode colaborar separando o lixo corretamente. “O resultado é tão positivo que outras repartições públicas e empresas privadas procuraram a Emlur para implantar”, acrescentou.

Implantação – A coordenadora da implantação da coleta seletiva, Socorro Alencar, afirmou que com a instalação dos coletores de plástico, vidro, papel e alumínio na sede da secretaria, os funcionários e a população começam a despertar e colocar o lixo no local correto, apesar de nem todos estarem preparados para a mudança de comportamento.

Ela informou que a próxima etapa será a colocação de cestos de lixo identificados para papel e plástico em todas as salas e em janeiro de 2009 a palestra de sensibilização vai chegar aos hospitais e unidades de saúde. “A receptividade tem sido muito boa com o pessoal da saúde e paulatinamente vamos implantar em outros serviços de saúde. É uma forma de preservar o meio-ambiente e ajudar na renda do pessoal da limpeza com a separação correta do lixo”, completou.

No Cefet – Já a coordenadora do Projeto Soluz, Claudiana Leal, falou sobre a implantação da coleta seletiva no Cefet-PB e do projeto desenvolvido por alunos da instituição, que transforma resto de óleo de cozinha em tabletes de sabão. Ela lembrou que no Cefet havia uma quantidade enorme de lixo e a conscientização foi uma tarefa difícil, mas a iniciativa de implantar a coleta teve o engajamento de 25 alunos de forma voluntária.

Claudiana Leal explicou ainda que o projeto teve várias fases como caracterização e qualificação, definição das áreas e instalação dos coletores, educação ambiental, capacitação dos agentes de limpeza e da destinação à cooperativa dos agentes ambientais. “O projeto conseguiu contribuir na mudança de comportamento de funcionários, alunos e professores no trato com o lixo”, finalizou.