Paratibe festeja entrega de 33 novas casas feitas de alvenaria pela PMJP

Por - em 57

As casas de taipa da comunidade quilombola de Paratibe, no bairro Valentina Figueiredo, agora fazem parte do passado. No local, as 58 moradias construídas com barro e tábuas, que ameaçavam a segurança dos habitantes, deram lugar a novas casas de alvenaria, com quase 40 metros quadrados cada uma. A entrega das últimas 33 unidades foi feita na noite da quarta-feira (19) pelo prefeito Ricardo Coutinho (PSB) e a secretária de Habitação Social, Emília Correia Lima.

As casas foram construídas pelo Programa de Subsídio Habitacional (PSH), em parceria com o Governo Federal. O prefeito Ricardo Coutinho disse que o projeto está conseguindo extinguir as moradias precárias, feitas de taipa, e dotando a cidade de habitações mais seguras e em condições de morar. “Para nós interessa o direito que cada pessoa tem de uma moradia digna. O direito de ter renda para ela e sua família”, destacou.

Ricardo Coutinho destacou ainda a presença do projeto ‘Cinturão Verde’ na comunidade. “Antes de 2005 diziam que não existia área rural em João Pessoa, quando ainda temos um grande número de bairros que têm características eminentemente agrícolas. São 17 empreendimentos beneficiados aqui em Paratibe”, comentou.

Agricultura – Paratibe é uma comunidade quilombola, onde a principal atividade econômica é a agricultura familiar. Lá residem 300 famílias, sendo que apenas 160 se reconhecem como negros e descendentes de escravos. “As pessoas ainda estão em processo de aceitação”, destacou a líder comunitária Joseane Pereira da Silva Santos.

Para os moradores, a substituição das casas de taipa por alvenaria foi motivo de realização pessoal e fortalecimento da auto-estima. “Algumas casas não tinham sequer banheiro dentro de casa. Foi uma emoção muito grande para todos receberem os imóveis”, contou Joseane.

Entrega – Desde o último dia 11 que o prefeito entrega casas em vários bairros da Capital. Em março são 117 novas famílias beneficiadas com casas de alvenaria no Bairro das Indústrias, Funcionários I, Mussumago e Paratibe.

As casas construídas pelo PSH seguem um modelo padrão, com uma área total de 37,2 metros quadrados distribuídos em sala, cozinha, banheiro e dois quartos. Cada moradia custa, em média, R$ 10 mil. O Programa de Subsídio Habitacional (PSH) é destinado a famílias de baixa renda. É uma iniciativa do Governo Federal (Ministério das Cidades) conveniada com Prefeitura de João Pessoa (PMJP) e tem os bancos Economisa, Paulista e Cobansa como parceiros na execução das obras.