Parque Zoobôtanico Arruda Câmara faz trabalho permanente para preservação e conservação de espécies

Por Hellen Nascimento - em 1517

Se engana quem pensa que o Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica) é apenas um lugar para exposição de animais e entretenimento dos visitantes. Mais que um local de lazer da família pessoense, o espaço desempenha a função de conservar e preservar as mais variadas espécies da fauna brasileira. E para marcar o Dia Nacional dos Animais, celebrado nessa quarta-feira (14), a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), aproveita a data para lembrar da importância da preservação da natureza e meio ambiente na Capital.

Mantido pela atual gestão, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), o local atualmente mantém cerca de 510 animais, de 65 espécies entre exóticos, que têm origem de outros países, e os silvestres, que são os pertencentes à fauna nativa brasileira, sendo estes a maior parte do plantel. O parque também abriga uma flora que encanta visitantes por sua beleza e diversidade.

De acordo com o diretor da Bica, Jair Azevedo, há um intenso trabalho de pesquisa feito por profissionais capacitados, quanto ao cuidado, trato e preservação. “O parque só pode receber espécies através da Polícia Ambiental e do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Chegando aqui são avaliados e tratados por nossa equipe técnica. Se o animal tem condições de voltar para a natureza o devolvemos ao órgão que o trouxe para que  o destinem ao seu habitat adequado. Na Bica só podermos manter os animais que não têm mais condições de voltar para natureza”, explicou.

Jair Azevedo ainda revelou que a Bica tem como base o tripé da conservação, pesquisa científica e educação ambiental.  “Nós desenvolvemos um trabalho intenso de conservação, reprodução de espécies e soltura desses animais de volta à natureza. Temos profissionais específicos que cuidam desde a alimentação, que é balanceada para cada espécie, da saúde e até dos ambientes que são especialmente adaptados para cada animal”, afirmou.

Educação Ambiental- De acordo com o diretor do parque, no ano de 2017, cerca de 36 mil crianças, tanto da rede pública como da rede privada da Capital passaram pelo local. Na oportunidade, além de terem a chance de conhecer e observar os bichos de perto, também puderam assistir a palestras dos profissionais do parque destacando a importância do cuidado na preservação da natureza e dos animais.

Reforma – Mas o Parque Arruda Câmara não se preocupa apenas com o bem-estar, a conservação e preservação de nossa fauna e flora, mas também com a segurança e toda infraestrutura oferecida ao visitante. Para tanto, a Prefeitura iniciou em dezembro do ano passado, as obras da reforma que darão uma cara nova ao zoológico, além de assegurar melhores instalações para os animais, segurança, limpeza e acessibilidade. Com um investimento de R$ 8,3 milhões, o projeto prevê a construção de um novo recinto para os felinos, a implantação do Museu Arruda Câmera, além da requalificação no Lago das Cinco Fontes, novos passeios públicos e parque infantis.

Denúncia– Caso o cidadão presencie qualquer tipo de maus tratos, deve ligar para a Polícia Ambiental no número 190 e denunciar a ocorrência. Caso também queira informar que achou alguma espécie de animal selvagem ou silvestre na rua, em casa, basta apenas ligar para que o bicho seja resgatado pela Polícia Ambiental. Já para quem quer ou precisa devolver algum animal silvestre a Bica não pode receber, mas orienta que a pessoa se dirija ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Cabedelo, na Região Metropolitana de João Pessoa.

Serviço – O Parque Zoobotânico Arruda Câmara fica localizado na Rua Gouveia Nóbrega, s/n, bairro do Róger. O espaço funciona de terça a domingo, das 8h às 17h, com bilheteria até as 16h. Os ingressos custam R$ 2,00 por pessoa, e crianças até sete anos e idosos não pagam. Mais informações pelo telefone 3218-9710.