Pianista Arthur Moreira Lima faz concerto gratuito em JP

Por - em 101

A música erudita segue pelas estradas do Brasil, em um caminhão teatro, até alcançar o povo, de forma generosa e gratuita.  No repertorio, clássicos universais de autores como Johann Sebastian Bach (1685-1750) e Ludwin Van Beethoven (1770-1827), além de pérolas nacionais como Heitor Villa Lobos (1887-1959) e Pixinguinha (1897-1973). Estamos falando de “Um Piano Pela Estrada”, projeto itinerante do pianista Arthur Moreira Lima, que chega à Capital paraibana. O concerto acontece nesta quinta-feira (19), às 19h30, no Ponto de Cem Réis. A iniciativa tem o apoio da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Entre as composições executadas por Arthur Moreira Lima estão “Jesus, Alegria dos Homens”, de Bach; “Sonata em lá maior, para Piano nº 11, k.331, 3º movimento – Alla Turca” (Mozart); “Valsa nº 7, em dó sustenido menor, op. 64nº 2” (Chopin, 1810-1849), “Rapsódia Húngara nº 2” (Litz, 1811-1886), só para citar alguns exemplos de músicas universais clássicas. Mas, o público poderá ouvir também reconhecer a sonoridade brasileira em “O Trenzinho do Caipira” (Villa-Lobos); “Apanhei-te, Cavaquinho” (Ernesto Nazareth, 1863-1934); “Carinhoso” (Pizinguinha, 1897-1973); “Asa Branca” (Luiz Gonzaga); entre outras obras populares.

“Um Piano pela Estrada” leva música universal e brasileira para ruas e praças, beneficiando não apenas a população que tem condições financeiras para ir a um concerto. Afinal, o projeto também tem a missão de alcançar aquelas pessoas que dificilmente teriam acesso a esse tipo de manifestação cultural.  Para isso, o pianista Arthur Moreira Lima adaptou o baú carroceria de um caminhão Scania e o transformou em palco. Para essa mudança basta apenas uma hora e tudo fica pronto: 45 metros quadrados de área de cena.

Estrutura itinerante – o caminhão teatro iniciou suas apresentações em maio de 2002.   O comboio cultural compreende ainda um caminhão de apoio para transporte de equipamentos de som, luz e telão, além de dois carros de passeio para o artista, produção e equipe. Na “bagagem” está o precioso Steinway & Sons, que é o piano de cauda de Arthur Moreira Lima.

O trabalho itinerante já levou aos quatro cantos do Brasil projetos de sucesso como o “São Francisco – Um Rio de Música” (2003), “São Paulo 450 Anos” (2004), “Nos Caminhos da Fronteira” (2005/2006), “Nos Caminhos de JK” (2007), “Brasil Sertões” (2008/2009), “Nos Caminhos dos Tropeiros” (2009/2010), entre outras ações, só para citar alguns exemplos. Ao todo, foram mais de 400 apresentações, levando cultura a quase um milhão de pessoas de vários estados brasileiros, em um trajeto de cerca de 180.000km de percurso.

Reconhecimento internacional – nascido no Rio de Janeiro, Arthur Moreira Lima é considerado uma das mais importantes personalidades da nossa cultura. Projetou-se internacionalmente no Concurso Chopin de Varsóvia. Laureou-se também nos concursos de Leeds (Inglaterra) e Tchaikovsky (Moscou). Desde então, tem feito turnês em todos os continentes, lotando as principais salas de concertos do mundo. Entre as orquestras e os regentes famosos com quem já se apresentou, estão as Filarmônicas de Leningrado, Moscou, Varsóvia, Sinfônicas de Berlim, Viena, Praga, BBC de Londres, National da França, sob a direção de Kurt Sanderling, KiriIl Kondrashin, Mariss Jansons, Serge Baudo, Jesus Lopez-Cobos, Sir Charles Groves, Vladimir Fedosseyev e Rudolf Barshai.