Plano da Mata Atlântica de João Pessoa desenvolvido pela PMJP é destaque na Rio +20

Por - em 58

João Pessoa foi citada como referência brasileira durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que está sendo realizada na cidade do Rio de Janeiro. No encontro da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma), o coordenador da Fundação SOS Mata Atlântica, Mário Mantovani, citou, em sua palestra, que a capital paraibana é a primeira cidade a elaborar o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, lançado em novembro de 2010.

Durante o encontro, foram apresentadas propostas e recomendações formuladas pelos estados, com a participação dos municípios e sociedade civil, para o desenvolvimento sustentável dos principais biomas brasileiros.

Técnicos da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), estão participando da Rio+20. “Tem sido enriquecedor conhecer as experiências exitosas de diversas cidades, do Brasil e do exterior, além de termos a oportunidade de apresentar a política ambiental que é desenvolvida em João Pessoa”, disse a secretária adjunta da Semam, Wellintania Freitas.

Plano da Mata Atlântica – O Plano mapeou todos os remanescentes de Mata Atlântica da cidade, incluindo manguezais, restingas, florestas densas, unidades de conservação e parques. Deste levantamento, a PMJP priorizou 20 áreas verdes para conservação ambiental.

Rio +20 – A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável marca os 20 anos de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92) e deverá contribuir para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas. No evento, os participantes estão discutindo os dos temas principais: a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza e a estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável.