PMJP apóia ação contra o abuso sexual de crianças, no Varadouro

Por - em 44

O combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na Capital paraibana ganha reforço nesta quinta-feira (5), a partir das 14h, com uma atividade no bairro do Varadouro que reunirá entidades coordenadas pela Casa Pequeno Davi e tem o apoio da Prefeitura de João Pessoa (PMJP).

Intitulada ‘O Varadouro contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes’, a ação é similar a outra desenvolvida em maio passado no Bairro do Róger e que reuniu 250 pessoas. A ação está programada para as 14h e se estenderá por toda a tarde na Rua da República, em frente à casa de número 359. Atividades artístico-culturais estão agendadas para toda a tarde.

A articuladora política da Casa Pequeno Davi, Rose Veloso, ressaltou que a ação é necessária porque o combate ao abuso e exploração deve ser um trabalho constante de toda a sociedade e de governos.

A escolha do bairro Varadouro se deve à proximidade dos espaços de diversão, Terminal de Integração e Rodoviária, que registram grande fluxo de pessoas de toda a Capital e de outras cidades. “Esta ação é necessária para que a problemática do abuso e exploração não caia no esquecimento. Por isso, a Casa Pequeno Davi e entidades parceiras resolveram levar a temática além de seus públicos-alvos”, frisou. A Casa Pequeno Davi é uma organização não-governamental que atende nos bairros do Róger e no Varadouro (núcleo Casa da Menina Mulher) 395 crianças e adolescentes com idades entre sete e 17 anos.

Principais ações
-Desde 2005, a Prefeitura de João Pessoa tem implementado diversas ações da política de enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, conforme ressaltou a coordenadora do Centro de Referência Especializada da Assistência Social (Creas) do município, Maria Salete Freitas.

Dentre as várias ações que podem ser destacadas estão a criação do serviço 0800 para o Programa Sentinela; a implantação do Conselho Tutelar Praia, previsto pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA); elaboração, pactuação e monitoramento do Plano Municipal de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual; criação do Projeto Ruartes, que leva arte-educadores para atender ao público infanto-juvenil em situação de risco e rua; implantação das retaguardas para os conselhos tutelares como as Casas de Acolhida e de Passagem e a capacitação de policiais rodoviários federais na identificação dos casos de abuso e exploração, especialmente nas estradas.