PMJP apresenta Plano de Conservação da Mata Atlântica

Por - em 26

João Pessoa é a primeira cidade do Brasil a elaborar o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica. Esta ação tornou a cidade referência no país quando se fala em políticas públicas de meio ambiente. Por esta razão a Prefeitura de João Pessoa, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) foi convidada para ministrar a “Oficina de Nivelamento e Intercâmbio com os Projetos de Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica”. O evento será nesta quarta-feira (23), no Centro de Treinamento do IBAMA, em Brasília.  

A Prefeitura de João Pessoa foi convidada pelo Ministério do Meio Ambiente, que está promovendo o evento. A turismóloga Vivian Maitê, chefe de Projetos e Convênios da Divisão de Estudos e Pesquisas da Semam, vai coordenar o treinamento, que será feito com profissionais selecionados pelo Subprograma de Projetos Demonstrativos Mata Atlântica, do Governo Federal. Os projetos têm como finalidade a mobilização e capacitação dos municípios da Mata Atlântica para os Planos Municipais e a elaboração de planos demonstrativos junto aos municípios interessados. Participarão do treinamento  a Ong SOS Mata Atlântica, Anamma e Rede de Ongs da Mata Atlântica.

Plano Mata Atlântica – A elaboração do Plano de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de João Pessoa foi coordenada pela Divisão de Estudos e Pesquisas da Semam, em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, a partir da necessidade de planejar estratégias de políticas públicas para a preservação do meio ambiente. O plano foi lançado em novembro do ano passado tem como objetivo direcionar a política ambiental da cidade, visando a proteção de nosso bioma, a Mata Atlântica.

Durante o encontro em Brasília o Plano de João Pessoa será apresentado para os profissionais, que poderão conhecer a metodologia utilizada na elaboração. Os técnicos da Semam trabalharam com pesquisa bibliográfica e cartográfica, estabeleceram critérios de escolha das dez áreas prioritárias e definiram parâmetros de classificação das áreas degradadas. Na segunda fase foram feitos trabalhos orientados de campo, com sobrevôo planejado do município, atualizando os dados cartográficos e, ainda, pesquisa terrestre para reconhecimento dos problemas e potencialidades de cada área.

Na terceira e quarta fases todas as informações foram analisadas para produção de um relatório técnico-científico. Por fim, foram feitas as comparações entre as bases cartográficas do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica com o Macrozoneamento do Plano Diretor e das áreas de risco elaboradas pela Coordenadoria Municipal da Defesa Civil.

O bioma – A Mata Atlântica é o bioma mais rico em diversidade do planeta, ocupando 15% do território nacional em 17 estados brasileiros. Na Paraíba, o bioma Mata Atlântica ocupa uma área de 1,16% da área total do Estado, ou seja, 56.585 km². Sete, dos nove maiores rios brasileiros, estão neste bioma. Proteger a Mata Atlântica também é proteger os processos hidrológicos responsáveis pela quantidade e qualidade da água potável para aproximadamente 3,4 mil municípios e para muitos setores da economia nacional