PMJP apresenta plano para áreas verdes na Câmara Municipal

Por - em 60

A Prefeitura de João Pessoa apresentou nesta quinta-feira (13), em audiência pública na Câmara de Vereadores, as políticas públicas ambientais para a cidade. Com base no Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, a secretária de Meio Ambiente, Lígia Tavares, apresentou os parques e áreas verdes de João Pessoa e falou sobre as ações desenvolvidas.

A audiência também abordou temas como os serviços ambientais prestados pela natureza e a necessidade de preservá-los, já que são imprescindíveis para a qualidade de vida dos moradores de João Pessoa.

Também foram citados projetos como Pequenas Áreas Verdes, que são áreas onde existem equipamentos públicos, como praças, e que foram solicitadas pela população, o projeto de requalificação do Parque Zoobotânico Arruda Câmara, a Bica, as ações de educação ambiental, como o Projeto Pequenos Condutores Ambientais, o Caminho Livre Arborizado na Avenida Epitácio Pessoa, que prevê a introdução de espécies da Mata Atlântica no local e ainda as ações de preservação do Parque Municipal Natural do Cuiá.

O Parque Cuiá, área remanescente da Mata Atlântica, deverá beneficiar, de forma direta, aproximadamente 65 mil pessoas de bairros e comunidades da Capital, como Grotão, Conjunto dos Radialistas, Ernesto Geisel, José Américo, Valentina de Figueiredo I e II, Colinas do Sul, Planalto Boa Esperança, Água Fria, Loteamento Nova Mangabeira, Condomínio Amizade, Mangabeira, comunidades de Santa Bárbara, Nossa Senhora das Neves e Frei Damião.

Para a secretária Lígia Tavares, “as ações de preservação de parques e áreas verdes é um desdobramento dos compromissos assumidos pela gestão na implantação do Plano Municipal de Conservação e Restauração da Mata Atlântica – aprovado em novembro de 2010”. O Parque do Cuiá está inserido ainda no Sistema Municipal de Áreas Protegidas (SMAP), já aprovado pela Câmara Municipal de João Pessoa, que estabelece as diretrizes e instrumentos para a criação e gestão de áreas protegidas, que foram divididas em Unidades de Conservação da Natureza, baseadas na Lei Federal do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) e em Parques Urbanos.

Já a vereadora Sandra Marrocos, que propôs a audiência, ressaltou o momento ao dizer que “essa é um das mais importantes audiências já realizadas pela Câmara de Vereadores, pois trata do hoje pensando no amanhã, nas políticas de sustentabilidade, onde o ser humano é cuidado. A Câmara está de parabéns, por ter aprovado, por unanimidade, o Sistema Municipal de Áreas Protegidas, o SMAP”, complementou.

Compuseram a mesa Paula Frassinete, ambientalista e secretária adjunta do Instituto de Previdência Municipal, Vandalberto de Carvalho, procurador geral do Município, e ainda os vereadores Tavinho Santos (PTB), Sandra Marrocos (PSB) e Benilton Lucena (PT), que presidiu os trabalhos.