PMJP apresenta projeto dos vales do Jaguaribe e Sanhauá

Por - em 34

O projeto de urbanização dos vales dos rios Jaguaribe e Sanhauá, elaborado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), foi apresentado a representantes das comunidades envolvidas, agentes políticos e auxiliares da gestão, na manhã desta segunda-feira (14), no auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM). A apresentação detalhou a intervenção que será feita ao longo do rio Jaguaribe, cuja primeira etapa das obras está orçada em quase R$ 74 milhões, recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal. Nessa área, os serviços de infra-estrutura urbana beneficiarão 62.655 famílias ou 192.511 habitantes diretamente.

O projeto foi apresentado pela secretária de Transparência Pública, Estelizabel Bezerra, e comentado pelo prefeito Ricardo Coutinho (PSB). Estelizabel explicou que a intervenção no Vale do Sanhauá não seria detalhada no evento, mas seguiria todos os princípios e critérios apresentados para o Jaguaribe.

O prefeito disse que os investimentos na área serão superiores ao R$ 74 milhões do PAC, porque a Prefeitura implantará equipamentos comunitários como complemento às obras de infra-estrutura social e urbana previstas no projeto. “A Prefeitura está envidando esforços para dar continuidade aos serviços de urbanização desses dois grandes vales. O projeto não prevê só urbanização. Significa moradia com habitabilidade, iluminação, lazer, educação, saúde, equilíbrio ambiental e acessibilidade”, disse.

Áreas de intervenção – Ricardo explicou que nessa primeira etapa serão realizadas obras no Alto Jaguaribe (Jardim Guaíba, Jardim Bom Samaritano, Rua Projetada, Travessa Palmares, Rua Osvaldo Lemos, Novo Horizonte, Lagoa Antônio Lins e adjacências do Monte Cassino) e Baixo Jaguaribe (Chatuba e São José). As etapas futuras contemplarão o Médio Jaguaribe. “Como os recursos são limitados, tivemos que fazer uma escolha e levamos em conta as áreas onde há necessidade mais urgentes de intervenção, que são o Alto e o Baixo Jaguaribe”, explicou.

Com respeito ao meio ambiente, estão previstos a recuperação de áreas degradadas pré-existentes e decorrentes da intervenção; revegetação; proteção das margens; desassoreamento e renaturalização do rio; paisagismo e estética urbana com implantação de parques e corredor ecológico. As ações sociais englobam a mobilização e organização comunitária, educação sanitária e ambiental e geração de trabalho e renda.

Infra-estrutura – Na área de infra-estrutura urbana estão previstos implantação de pavimentação, drenagem e esgotamento; retirada de habitações de risco e revitalização de área degradada e implantação de loteamentos com equipamentos comunitários, como escolas, creches, praças, quadras esportivas e postos de saúde.

No Vale das Palmeiras, Rangel e Novo Horizonte (Alto Jaguaribe) serão implantados 126.395,75 metros quadrados de pavimento em paralelepípedos e 46.828,50 metros quadrados de pavimentação em asfalto. Nas comunidades São José e Chatuba (Baixo Jaguaribe) serão beneficiadas com 25.624,61 metros quadrados de pavimento em paralelepípedo. Além disso, as áreas receberão investimentos em esgotamento sanitário (1.266 ligações domiciliares) e redes de abastecimento de água, iluminação pública (820 metros quadrados), recuperação de 32.600 metros quadrados de áreas degradadas e construção de 1.260 moradias que abrigarão 6.300 pessoas. O PAC do Jaguaribe beneficiará 62.655 famílias (192.511 pessoas).

Segundo Ricardo Coutinho, o lançamento oficial do projeto de urbanização dos vales do rios Jaguaribe e Sanhauá deverá ocorrer no próximo mês de maio e a Prefeitura está articulando a vinda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Capital para o evento. No mesmo dia, haverá lançamento das licitações para as obras. Os serviços devem começar no prazo de dois meses depois do lançamento.