PMJP avança com obras de proteção da falésia do Cabo Branco

Por Flávio Asevêdo - em 1373

As obras de drenagem da Barreira do Cabo Branco, iniciadas em fevereiro deste ano, seguem avançando para corrigir as falhas no escoamento das águas na área continental da falésia, agravada nos últimos anos com a construção de novos equipamentos. A primeira intervenção para proteger a falésia e a mais importante na sua área continental já está com mais de 264 metros de tubos instalados em pouco mais de 2 meses de execução das obras, orçadas em R$ 5,2 milhões. As obras se concentram na região da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, edifício que será diretamente beneficiado com o trabalho de prevenção, e que mantém uma programação diária de atividades sendo oferecidas à população e turistas.

“Pela primeira vez a Prefeitura Municipal de João Pessoa tem a iniciativa de realizar obras que buscam a solução para proteger a falésia do Cabo Branco. É um desafio histórico que resolvemos enfrentar fazendo todo um diagnóstico da região. Iniciamos o trabalho reduzindo o impacto no local, com a diminuição da circulação de carros, implantamos novas vias, debatemos este projeto com técnicos e população e desde fevereiro, estamos dando sequência com a implantação da rede de drenagem”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

A primeira etapa das obras contempla a implantação de 10 novos trechos de drenagem, que irão integrar a nova rede à já existente no entorno dos bairros do Altiplano, do Cabo Branco e Seixas. Essa intervenção será a mais importante no continente para corrigir as falhas históricas no escoamento das águas que hoje agravam a erosão na falésia. Com esta rede implantada, será possível disciplinar a água das chuvas até a praia, reduzindo o impacto na Barreira do Cabo Branco. O lançamento das águas pluviais vai ocorrer em dois pontos de emissão, que serão reforçados para receber a nova rede nas praias do Seixas e do Cabo Branco.

“A estrutura desta rede de drenagem vai captar a água das chuvas que se acumula em um lago artificial existente, ao lado do prédio da Estação das Artes, e levar até o emissário de lançamento já existente, próximo ao acesso ao Bosque dos Sonhos, para encaminhar até o mar. Esse novo escoamento das águas diminui a pressão exercida pelas águas na barreira, o que prejudicava a sua sustentação. Nesse trabalho de implantação da rede e concretagem, já foram executados 243 metros de tubo de 1.500 mm e 21 metros de tubo de 600 mm”, explicou o secretário de Infraestrutura (Seinfra), Cássio Andrade.

A secretária de Planejamento, Daniella Bandeira, destacou que estão sendo concluídos os novos estudos de impactos ambientais para avaliar as novas medidas que são indispensáveis para a preservação da Barreira do Cabo Branco, e definir as outras etapas do projeto de contenção. Além da drenagem, o projeto integral prevê outras medidas de contenção, como a construção de quebra-mares e a proteção no sopé da falésia.