PMJP cerca sete áreas verdes da cidade para evitar degradação

Por - em 85

A população dos bairros com áreas verdes desfrutam de mais qualidade de vida, com temperaturas mais amenas. Atenta à necessidade de preservação desses locais, que são protegidos por lei, a Secretaria de Meio Ambiente (Semam), com apoio da Autarquia Especial Municipal (Emlur), está cercando sete áreas verdes de João Pessoa para evitar a degradação.

As áreas estão sendo limpas e recebendo cercas de arame farpado e estacas. São elas: trecho da bacia do rio Cabelo, em Mangabeira; área de maceió no Bessa; área verde na PB 008, em Paratibe; estuário do rio Jaguaribe, no trecho entre Bessa e Intermares; área verde por trás do Colégio da Polícia Militar, em Mangabeira VII; pequena área verde no Cuiá, que receberá cercamento e calçamento; e, ainda, a  área verde no Conjunto Cidade Verde, antes do ponto final do 514.

Todas essas áreas são remanescentes de Mata Atlântica e, por lei, devem ser preservadas. A cidade de João Pessoa possui um instrumento regulatório da política ambiental da cidade, que é o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica (confira no link http://t.co/VLCQ6H6K). O Plano, lançado em novembro de 2010 em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, segue as orientações da Lei Federal da Mata Atlântica.

Degradação – As áreas verdes sofrem com a degradação ambiental. Os técnicos da Semam relatam presença de trilhas clandestinas, retirada de lenha e desmatamento, que provoca a erosão na margem dos rios.

No trecho por trás do Presídio Silvio Porto, os profissionais da Emlur retiraram mais de 22 caçambas (com 12 toneladas, cada) de lixo. Para Cláudio Almeida, biólogo da Semam, o cercamento deverá conter as agressões e contribuir para que os serviços ambientais sejam mantidos.

A natureza fornece, de forma gratuita, água limpa, oxigênio, remédios naturais e alimentos, e também garantem o bom funcionamento dos processos naturais de controle do clima e fertilidade de solo, imprescindíveis, por exemplo, para a agricultura. As áreas vão receber ainda placas com informações sobre a legislação e preservação de patrimônio público ambiental.