PMJP comemora ‘Dia da Mata Atlântica’ com evento educativo no Busto de Tamandaré

Por - em 84

Neste domingo (27), comemora-se o ‘Dia da Mata Atlântica’. Para marcar a data, a Secretaria de Meio Ambiente (Semam) da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) promove uma ação de educação ambiental, das 6h30 ao meio dia, no Busto de Tamandaré.

Quem for ao local poderá tirar dúvidas com a equipe técnica da ‘Tenda Verde’ da Semam sobre o mini-viveiro e a caixa didática de abelhas nativas e ainda prestigiar uma exposição de sementes da Mata Atlântica. Haverá ainda distribuição de mudas de árvores nativas, sempre seguidas de orientações sobre o plantio. Serão distribuídas mudas de jacarandá, pata de vaca, algodão da praia e aroeira.

Viveiro municipal – No ano passado, o viveiro produziu 38 mil mudas de árvores nativas, utilizadas no plantio urbano, na recuperação de áreas degradadas e matas ciliares – nas margens dos rios – e também para distribuição nas instituições públicas.

Os biólogos, engenheiros florestais e técnicos agrícolas, que fazem parte da equipe, também atendem empresas que querem adotar programas de arborização, compostagem de material orgânico e meliponicultura, que é a criação de abelhas nativas para produção de mel.

“O Viveiro Municipal de plantas nativas de João Pessoa é uma referência para outras cidades. Aqui, produzimos mudas de espécies nativas com base agroecológica, pois não utilizamos inseticidas e adicionantes químicos. Todo o controle de pragas é feito com biodefensivos, plantas e extratos de plantas. João Pessoa é uma referência quando falamos de desenvolvimento sustentável, é uma ação local com repercussão global”, afirmou a engenheira florestal Aline Valéria, coordenadora do Viveiro Municipal.

O Viveiro Municipal é aberto à visitação pública, de segunda a sexta-feira, das 7 às 11h e das 13 às 17h. Informações através do telefone 3214 -4936.

Dados – A população de João Pessoa está entre os 122 milhões de moradores da Mata Atlântica, que abrange 17 estados do litoral brasileiro, entre Piauí e Rio Grande do Sul. Considerada uma das florestas mais exuberantes do mundo, é também um dos biomas mais ameaçados, restando apenas 7% de seu estado natural. Sessenta por cento dos animais ameaçados de extinção no Brasil dependem desse ambiente para sobreviverem.