PMJP comemora Dia da Saúde Mental no bairro dos Bancários

Por - em 193

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realiza nesta quinta-feira (14), em alusão ao Dia Mundial da Saúde Mental, o projeto ‘ResPirando Artes’, com um dia inteiro de atividades voltado aos amigos, familiares e portadores de transtorno mental que são atendidos pelos serviços oferecidos pela SMS.

As atividades serão realizadas na Praça da Paz, no Bairro dos Bancários, a partir das 9h . Na programação, exposição fotográfica, Biblioteca Itinerante do Sesc, apresentações teatrais, grupos de dança, oficinas de artesanato, rodas de capoeira e percussão. No mesmo local, haverá oficinas sobre doenças sexualmente transmissíveis e distribuição de material educativo sobre DST/Aids.

As atrações culturais contam com a participação dos usuários dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) Caminhar, David Capistrano e AD, todos mantidos pela gestão municipal.

Atendimento em João Pessoa – Com a filosofia de trabalhar em busca de uma vida digna, livre e independente para pessoas que apresentam algum transtorno mental, longe dos manicômios e junto à sociedade, a PMJP, através da SES, mantém quatro Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e uma residência terapêutica que atendem mensalmente mais de 800 usuários. Além desses locais, o município também conta com o Pronto Atendimento em Saúde Mental, que funciona em plantões de 24 horas e realiza quase 500 atendimentos por mês.

Cada um dos quatro Caps possui um perfil de atendimento direcionado para as necessidades dos usuários. O Caps Gutemberg Botelho e o Caps Caminhar – reinaugurado em março deste ano – possuem juntos 650 usuários cadastrados que são portadores de transtornos mentais severos e/ou persistentes. Já o Caps Cirandar atende mais de 100 usuários entre dois e 17 anos de idade portadores de transtornos mentais, que além do tratamento psiquiátrico e psicológico participam de oficinas terapêuticas, confecção de bijuterias, aulas de teatro e capoeira, além de contar com o grupo de apoio e orientação aos pais e responsáveis.

Já no Caps AD, inaugurado em fevereiro deste ano, no bairro do Rangel, são atendidos atualmente 50 usuários de álcool e outras drogas. No local, o dependente químico realiza tratamento com medicamentos, terapia individual e comunitária com psiquiatras e psicólogos, recebe visitas domiciliares e participa de oficinas culturais. Além disso, o Centro presta assistência também aos familiares dos usuários.