PMJP conta com 7 abrigos para atender famílias desabrigadas

Por - em 27

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) disponibiliza sete abrigos sociais para acomodar famílias que tiverem suas residências comprometidas em caso de desabamento ou alagamento em virtude das chuvas. As unidades estão localizadas nas proximidades das regiões monitoradas diariamente pela Prefeitura, que possuem maior concentração de casas em risco.

Os locais são: Escola Municipal Nazinha Barbosa, em Manaíra; Escola Municipal João Vinagre e Igreja São Francisco, em Miramar; Associação de Moradores da Comunidade Padre Hildon Bandeira, na Beira Rio, Associação Espírita São Rafael, no Castelo Branco; Escola Municipal Davi Trindade (Valentina); e Associação de Moradores da Comunidade Bancária e Universitária (AMCBU), nos Bancários.

A diretora de Organização Comunitária e Participação Popular da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Cassandra Figueiredo, explica que nestes locais as pessoas encontrarão abrigo imediato, caso as chuvas voltem a cair em João Pessoa.

“Todos os moradores dessas áreas já foram informados desses abrigos, num trabalho realizado casa a casa, envolvendo os articuladores do Orçamento Democrático e lideranças comunitárias. Isso não inviabiliza que elas continuem a entrar em contato com a Sedes, a Defesa Civil e os demais órgãos da Prefeitura que atendem a estes casos. A divulgação desses abrigos e sua localização, é para reforçar a informação para onde as pessoas devem se dirigir de imediato em caso de emergência”.

Segundo Cassandra, a Sedes conta com uma equipe de assistentes sociais disponíveis 24h para atender estes casos. “Elas também são responsáveis pela elaboração de relatórios de cada situação identificada e pelos encaminhamentos aos benefícios sociais existentes”, afirmou.

Auxílio – Do início do ano até agora 78 famílias que tiveram suas casas demolidas por risco de desabamento e todas foram inseridas no auxílio moradia da Sedes. Doze famílias da Comunidade Padre Hildo Bandeira foram relocadas para um abrigo provisório. E onze famílias, acompanhadas pela equipe social da Sedes, se abrigaram na casa de parentes ou amigos. Ainda foram providenciados colchões, cobertores e cestas básicas mediante essa identificação das demandas.

Como forma de prevenir os desabamentos e alagamentos, a Prefeitura de João Pessoa intensifica nos meses que antecedem as chuvas a limpeza de galerias e rios, na urbanização no controle e monitoramento das áreas de risco. Também atua durante todo o ano com o trabalho de educação ambiental junto às comunidades para preservarem as encostas e não jogarem lixo nos rios.

A Prefeitura de João Pessoa acompanha atualmente 35 comunidades localizadas em áreas de risco: Timbó (Bancários), Saturnino de Brito (Trincheiras), Santa Clara e São Rafael (Castelo Branco), Tito Silva (Miramar), São José (Bairro São José), São Judas Tadeu, Beira da Linha e Ari Barroso (Alto do Mateus), Paulo Afonso (Jaguaribe), Asa Branca e Comunidade do S (Roger), Boa Esperança, Novo Horizonte e Monte das Oliveiras (Cristo), Maria de Nazaré (Funcionários II), Riacho (13 de Maio), Chatuba (Manaíra), Santa Emília de Rodath, Tanque e Mangue Seco (Ilha do Bispo), Porto do Capim (Varadouro), Barreira do Cabo Branco (Cabo Branco), Citex e Nova República (Geisel), Jardim Mangueira (Mandacaru), Santa Bárbara e Maribondo (Valentina), Arame e Bananeiras (Grotão), Porto de João Tota e Jardim Coqueiral (Mandacaru), Esperança (Padre Zé) e São Geraldo.

Em caso de emergência as pessoas devem ligar para a Defesa Civil no telefone 0800 285 9020 ou entrar em contato com os Agentes Setorias da Sedes ou Articuladores Regionais do Orçamento Democrático.