PMJP entrega Hospital Valentina com atendimento infanto-juvenil

Por - em 15

Dentro do conjunto de melhorias implantadas na área de saúde na atual gestão, a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) entregou oficialmente na tarde desta segunda-feira (29) o novo Hospital Municipal Valentina (HMV). Além das melhorias estruturais, a Secretaria de Saúde (SMS) primou no reforço da equipe baseada na excelência do atendimento humanizado, proposta pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O corte da fita inaugural, assim como o descerramento da placa, foi feito pelo prefeito Ricardo Coutinho. Em seu discurso, o gestor destacou o compromisso da administração em oferecer para os pessoenses um serviço de saúde de qualidade. “A saúde é um serviço onde a população tem que ter respostas imediatas. Por isso, o novo esforço de qualificar e ampliar os serviços oferecidos pela rede. Dessa forma, estamos devolvendo à população a credibilidade que tanto o serviço público precisa”, frisou o prefeito.

O Hospital Municipal Valentina funciona 24 horas por dia oferecendo serviço de pronto-atendimento e pediatria. Segundo a diretora do hospital, Fernanda Leite Moraes, na especialidade infanto-juvenil a unidade ganhou 50 leitos, sendo 38 clínicos e 12 para recuperação de cirurgias ambulatoriais. “Continuamos a atender os pacientes de pronto-atendimento, mas agora o hospital é referência no atendimento pediátrico. Esse é um hospital para toda a cidade e a equipe está empenhada e comprometida com a excelência no atendimento, pois é esse nosso maior patrimônio, salvar vidas”, afirmou a diretora.

A unidade de saúde passou por uma grande reforma estrutural e técnica. Na parte física foram construídas mais 10 enfermarias, laboratório, ambulatório e bloco cirúrgico, substituído itens hidráulicos, elétricos, o que inclui climatização. Na estrutura técnica foram adquiridos equipamentos de raios-X, aparelhos de ultrassonografia e laparoscopia, além de uma ambulância.

Hoje a equipe é formada por 380 servidores, entre médicos, enfermeiros, técnicos, assistentes sociais, psicólogos, entre outros profissionais. Só médicos são 50 trabalhando. Foram investidos na reforma e compra de equipamentos quase R$ 2 milhões, recursos estes federais e municipais.

Atividades lúdicas – Com o objetivo de transformar a internação em um momento prazeroso, a direção vai desenvolver com o público infantil o projeto lúdico com o ‘Grupo Brincar’. A iniciativa consta que a cada dia da semana uma atividade seja realizada com as crianças internadas e acompanhantes. Na segunda-feira será realizado o dia de brincar; na terça-feira a terapia complementar com pais e filhos; na quarta-feira a sessão de cinema no auditório da unidade que tem capacidade para 70 pessoas; na quinta-feira a tarde de leitura com a presença de um contador de histórias para quem não souber ler e na sexta-feira a sexta musical. As atividades serão realizadas pela própria equipe multidisciplinar do hospital, que também ganhou uma brinquedoteca, uma homenagem à menina Joyce Kelly de Azevedo, que morreu no dia 27 de março de 2005, aos 4 anos, por falta de atendimento.

Atendimento
– Para que a população seja recebida dentro do perfil de atendimento do hospital, a Secretaria de Saúde adotou o serviço de ‘Acolhimento e classificação de risco’. Isto significa dizer que assim que chegar na unidade o paciente é avaliado para em seguida ser dado o encaminhamento. O serviço segue uma escala de cores que indica a complexidade da enfermidade. As pulseiras tem as seguintes cores: azul (consulta ambulatorial); branca (acompanhantes); verde (emergência leve); amarelo (emergência moderada), laranja (emergência grave) e vermelho (emergência onde a prioridade é zero).

A atendente Luciana Diniz, que mora no bairro de Mangabeira, procurou o hospital na tarde desta segunda-feira em busca de atendimento para o filho de oito meses. Com o quadro de diarréia e vômito, ele foi logo atendido. “A médica avaliou e disse que são os dentes crescendo. Achei o atendimento ótimo. Essa região aqui estava precisando de um hospital desse. Agora fico mais tranquila quando meu filho adoecer”, disse a mãe.

Durante toda esta semana, a equipe do hospital estará participando de simulações e a direção finalizando protocolos de procedimentos. Em virtude disso, o atendimento no hospital, que fica localizado na rua Mariângela Lucena Peixoto, nº 274, no bairro do Valentino Figueiredo I, será efetivamento aberto à população na próxima segunda-feira (05).