PMJP entrega novas moradias a cerca de cinco mil pessoas nesta quinta

Por - em 88

O sonho da casa própria vai se tornar realidade para 1.240 famílias da Capital paraibana. Nesta quinta-feira (6), a partir das 9h, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) entrega oficialmente as unidades habitacionais do Residencial Irmã Dulce. Construído dentro do conceito de habitabilidade do governo municipal, no bairro Colinas do Sul, o conjunto custou aos cofres municipal e federal R$ 53.839.999,08. O prefeito Luciano Agra fará a entrega simbólica das chaves aos novos moradores, que contabilizam quase cinco mil pessoas.

O residencial é dotado de rede de abastecimento de água, drenagem, pavimentação, energia elétrica, iluminação pública, coleta de lixo, telefone e transporte. Dividido em Irmã Dulce A, B e C, o conjunto é o terceiro entregue pela PMJP por meio do programa federal Minha Casa Minha Vida. Os apartamentos têm área privativa de 42,03 metros quadrados e são compostos de sala de estar/jantar, dois quartos, banheiro social, cozinha, área de serviço e medição individualizada para água e energia.

No entorno do conjunto habitacional, os moradores contarão com duas escolas da rede municipal, uma da rede estadual, duas creches, um posto policial e duas linhas de transporte urbano. O residencial A abrigará 440 famílias, distribuídas em 110 blocos; o B receberá 480 famílias em 120 blocos; e o C agrupará 320 famílias em 120 blocos. Em todo o residencial, 16 pessoas vão ocupar apartamentos adaptados, por terem necessidades especiais.

Mulher chefe de família – Dos 1.240 imóveis do residencial, 873 estão em nome de mulheres que são chefes de família. A dona de casa Carmem Andressa da Costa é uma delas. Quando soube que foi sorteada para ocupar o apartamento 101 do bloco 6, no Irmã Dulce A, ela não conteve a emoção. “Eu morava de aluguel e, há cinco anos, vivi em uma ocupação no Bairro de Cruz das Armas. Mas hoje posso dizer que vou morar num ambiente chique. Nunca possuí uma casa tão bonita”, disse.

Homenagem – Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, conhecida como Irmã Dulce, era venerada como a beata dos pobres, ou “A Bem-Aventurada”. Mesmo com a saúde frágil, Irmã Dulce construiu e manteve uma das maiores e mais respeitadas instituições filantrópicas do país. Indicada ao Prêmio Nobel da Paz em 1998, foi beatificada em Salvador, em 2011, e passou a ser reconhecida como Bem Aventurada Dulce dos Pobres. Morreu em casa, de causas naturais, aos 77 anos, em 1992.