PMJP executa obra no Parque Cuiá, que será área de lazer e preservação

Por - em 744

A obra de cercamento do Parque Cuiá, no Valentina Figueiredo, já começou a ser executada pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). Em todo o local, a PMJP trabalha para implantar a infraestrutura que servirá de base para a construção da cerca. Em alguns locais, no entanto, já é possível observar o andamento da obra, com o muro totalmente construído. A obra de cercamento custou pouco mais de R$ 700 mil. No total, serão quase dois mil metros de muro.

O cercamento do Parque Cuiá compreende um muro em torno do parque e a colocação de uma tela, que deixará a área visível para a população. De acordo com Joaquim Almeida, secretário adjunto de Infraestrutura (Seinfra), a obra segue em ritmo normal – a atividade dos trabalhos só é comprometida, segundo ele, porque a equipe trabalha em área de preservação ambiental. “A todo momento, precisamos do aval da Secretaria de Meio Ambiente, para saber se alguma árvore pode ou não ser derrubada”, explicou.

Mesmo com as dificuldades burocráticas e ambientais que cercam a obra, Joaquim Almeida destaca que mais de 200 metros de muro já foram concluídos. “É um projeto que exige cautela. Mesmo assim, conseguimos trabalhar em ritmo satisfatório e dar prosseguimento ao projeto”, afirmou.

A secretaria adjunta de Meio Ambiente, Welitania Freitas, endossa que a construção segue normal e garante que o pagamento à empresa responsável é feito na medida em que a obra avança. “Boa parte da infraestrutura já está concluída. O valor acordado é pago normalmente à empresa, em etapas”, destacou.

Dados da obra – Já foram concluídos 528 metros da mureta de cercamento, faltando apenas a tela. Em outros 400 metros, os pilares que servirão para a construção do muro já estão com concluídos. E há 200 metros de insfraestrura completos para prosseguir com a colocação de muros e telas.

Parque – Formado por áreas de uso intensivo e restritivo, o trecho remanescente de Mata Atlântica, de aproximadamente 20,8 hectares, terá trilhas educativas guiadas e espécies nativas identificadas, valorizando o ambiente natural e propiciando o contato com a natureza preservada desta área.

O Parque disporá de áreas para piquenique, pedalinho, tirolesa, ponte pênsil, arvorismo, observatório de pássaros, anfiteatro externo, casa de plantas (bromeliário), exposição permanente de imagens da história da Fazenda Cuiá e do parque, quiosques de serviços, postos de segurança, lojas de artesanato e souvenires e estacionamento com 250 vagas (sendo oito para portadores de necessidades especiais) e ainda 100 vagas para motos e 10 para ônibus de turismo.

A área remanescente da Mata Atlântica deverá beneficiar, de forma direta, aproximadamente 65 mil pessoas de bairros e comunidades da Capital, como: Grotão, Conjunto dos Radialistas, Ernesto Geisel, José Américo, Valentina de Figueiredo I e II, Colinas do Sul, Planalto Boa Esperança, Água Fria, Loteamento Nova Mangabeira, Condomínio Amizade, Mangabeira, comunidades de Santa Bárbara, Nossa Senhora das Neves e Frei Damião.