PMJP firma parceria e amplia ações da educação patrimonial

Por - em 36

Ampliar as ações na área de educação patrimonial na rede pública de ensino de João Pessoa. Com essa proposta, o prefeito Luciano Agra assinou na tarde desta segunda-feira (31) o Termo de Cooperação Técnica entre a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). A solenidade aconteceu na sala de reuniões do 2º andar, no Paço Municipal, Centro da Capital.

Para o prefeito Luciano Agra, esse Termo de Cooperação vai ajudar a sociedade pessoense a cuidar melhor dos bens culturais da cidade. “A identidade cultural é feita através da imagem urbana. Daí a necessidade de se começar a despertar esse cuidado na base, nas escolas, com os alunos, para mostrar a eles o cuidado que se deve ter com a preservação do patrimônio cultural de nossa cidade”, destacou.

Com a assinatura do Termo, o ensino da educação patrimonial deve chegar a cerca de 70 mil estudantes da rede municipal de ensino até o final de 2011. A PMJP e o IPHAN ficarão responsáveis em produzir material didático-pedagógico; promover seminários, cursos e debates voltados ao tema; disponibilizar recursos para o projeto; promover o intercâmbio de informações e documentos técnicos, entre outras ações conjuntas em prol do desenvolvimento da educação patrimonial nas escolas e também para a população.

Segundo o coordenador de Patrimônio Cultural da PMJP (Copac), Fernando Moura, em apenas um ano que a PMJP vem desenvolvendo ações nesta área já foram beneficiados cerca de 20 mil alunos. “As ações de educação patrimonial da Prefeitura vêm sendo realizadas há pouco tempo, mas já estão sendo reconhecidas, e por serem tão bem estruturadas despertaram a atenção do IPHAN. Estamos preparando uma geração que vai ter um nível de consciência bem maior na preservação de seus bens materiais e imateriais”, ressalta.

Fernando Moura lembrou que a assinatura desse Termo é o primeiro passo para a realização do 1º Fórum Nacional de Educação Patrimonial, a ser promovido em uma ação conjunta com o IPHAN em novembro deste ano na Capital. Na ocasião, será formulada a Carta de João Pessoa, que será uma referência conceitual de educação patrimonial para o país, a ser aplicada nos demais municípios brasileiros.

A diretora do Departamento de Articulação e Fomento do IPHAN, Márcia Rollemberg, defendeu, na assinatura do pacto, que o Brasil precisa se reconhecer e para isso precisa conhecer a sua história, pois essa valorização vem dessa capacidade de saber o que é importante. “Considero um esforço importante trazer isso para as escolas de uma maneira mais estruturada, em um momento que se pactua uma política nacional de patrimônio. É um grande avanço para a área, para que ela seja um forte elemento de cidadania”, disse.

Já a superintendente regional do IPHAN (PB/RN), Eliane de Castro Machado, lembrou que esse termo surgiu a partir das atividades que já estão desenvolvidas conjuntamente entre IPHAN e PMJP há mais de um ano. “E agora ele vem consolidar e estreitar essas relações institucionais de compromisso com as ações na área de educação patrimonial”, destaca. Ela acredita ser este o primeiro Termo assinado entre o IPHAN e uma prefeitura municipal com vistas a fazer com que a educação patrimonial seja inserida em uma grade curricular de forma transversal.

A solenidade contou com a participação de diretores de escolas da rede municipal de ensino, que irão receber kits com material didático e pedagógico para serem utilizados nas atividades escolares. Os kits possuem 11 itens, a exemplo do Guia Básico de Educação Patrimonial, Jogo da Memória, Filme Pessoas e Pertencimentos (DVD) e ainda folders educativos. O material será entregue às 92 escolas do município durante o mês de junho.