PMJP investe R$ 1,2 milhão na reforma de 14 campos de futebol

Por - em 17

O funcionário público Valcir Padilha mora no bairro do Rangel há 32 anos. Próximo a casa dele, está localizado o campo da Mangueira, onde sempre costumou jogar. A prática do futebol amador mudou após melhorias realizadas pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Esporte, Juventude e Recreação (Sejer). Antes, não havia iluminação, alambrado ou muro que identificasse o campo. Com os investimentos até vestuários foram construídos para proporcionar mais conforto aos praticantes da “pelada”.

“Não podíamos jogar à noite, era tudo escuro. Nós precisávamos de um campo, o prefeito fez, precisávamos de uma praça, o prefeito está construindo. Está muito melhor viver aqui agora”, comemora Valcir que se reúne a outros 31 jogadores amadores toda terça feira à noite no local.

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) está investindo este ano, R$ 1.265.180,16 na reforma de 14 campos de futebol na cidade. São recursos próprios da PMJP voltados para a recuperação de espaços nos bairros de Mandacaru (Alto do Céu), Indústrias, Cidade Verde (Mangabeira), Jardim Planalto (Oitizeiro), Ernesto Geisel, Alto do Mateus, Distrito Mecânico, Mangabeira, Valentina de Figueiredo, Cidade Jardim Universitária e Bessa.

Quem também comemora as melhorias é o treinador Gilberto Pociuncula que ensina a arte do futebol a mais de 150 crianças, em idade entre 5 e 13 anos moradoras do Rangel e bairros vizinhos. Neste trabalho, ele é voluntário, ensinando as turmas de meninos e meninas às quartas-feira e sábados. Com a reforma do espaço, ele pôde acertar melhor os horários de cada grupo. “Antes era muito desorganizado, agora, melhorou. Temos, é um campo de verdade”, conclui.

Padrão – Cada projeto segue um padrão e tem em sua estrutura física, vestuário, alambrado, arquibancada e iluminação. Para Alexandre Urquiza, titular da Secretaria de Esporte, Juventude e Recreação, essa é uma forma de incentivo à prática do esporte amador e de garantir melhor qualidade de vida para jovens e adultos.

“Essa ação representa mais que uma estrutura física, e sim, um investimento no social. Os benefícios da atividade esportiva são inúmeros, a começar por afastar crianças e adolescente das drogas e do crime, além de incentivar a convivência em grupo e contribuir para uma melhor qualidade de vida”, afirmou.

Segundo ele, foram detectados mais 57 espaços para a prática de futebol na cidade, só no Gervásio Maia foram identificadas 10 equipes de futebol. Locais que antes eram motivo de queixa da população.

“Antes, os jogadores não tinham onde trocar de roupa nem tomar banhos após as partidas. Quem também reclamava eram as pessoas que moravam ao redor do campo, já que muitas vezes as bolas atingiam as casa e quebravam as telhas. Com essa reforma estamos transformando um simples campo de ‘pelada’ em uma área com toda estrutura para a prática esportiva, que servirá inclusive para torneios de bairros”, destacou Urquiza.

Novos campos de futebol já foram entregues pelo prefeito Ricardo Coutinho (PSB) aos moradores de José Américo, Geisel, Mangabeira VII, Valentina, José Américo, Distrito Mecânico e Alto do Mateus.

‘Estádio da Graça’ – Outro grande investimento que a prefeitura entregou à comunidade foi a reforma e ampliação do Estádio Leonardo da Silveira, mais conhecido como ‘Campo da Graça’, no bairro de Cruz das Armas, que segundo levantamentos históricos é o mais antigo da Capital.

A obra contempla o local com uma tribuna de honra com área de 445,5 metros quadrados e capacidade para 51 autoridades, a instalação de cobertura no espaço reservado para arquibancadas, banheiros públicos, reforma dos vestuários, ampliação de cabines de imprensa, substituição de toda iluminação do campo, sala para atendimento médico; espaço para administração e tesouraria, além de acesso dos veículos de serviços como polícia e ambulância.

Comissão gestora – Os campos serão administrados por uma comissão gestora, seguindo a experiência das praças construídas pela atual gestão. Isso permitirá o disciplinamento dos jogos e uma manutenção adequada das áreas.

A escolha das áreas onde estão sendo readequados os campos seguiu uma política democrática, em que a Prefeitura reuniu lideranças comunitárias e fez um levantamento dos terrenos públicos para implantação das áreas desportivas.