PMJP lança 3ª edição do Prêmio Escola Nota 10 no Cine Banguê

Por - em 39

O Cine Banguê do Espaço Cultural ficou lotado na tarde de segunda-feira (31) durante o lançamento da 3ª edição do Prêmio Escola Nota 10. Gestores, adjuntos e especialistas da rede municipal de ensino participaram da solenidade, que foi presidida pela secretária de Educação e Cultura, Ariane Sá, e contou com a presença do chefe de gabinete da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), Alexandre Urquiza, representando o prefeito Luciano Agra.

Durante o pronunciamento, a secretária destacou que o programa tem contribuído com a melhora da qualidade de ensino. “O alvo da prefeitura é sair do administrativo e se voltar às questões pedagógicas. Para que isso aconteça, o aluno e o professor têm que se sentir acolhido e seguro. O resultado máximo depende do trabalho conjunto que vai desde o porteiro até o diretor. Tudo isso vai refletir no aprendizado de cada aluno”, disse ela.

Já Alexandre Urquiza disse que a educação é uma das prioridades do prefeito Luciano Agra. “É importante chegar em um ambiente e perceber o melhoramento na rede municipal de ensino, na educação de crianças, jovens e adultos. A prefeitura tem essa preocupação de manter um ritmo crescente, entendendo a educação como um pilar fundamental para o desenvolvimento de qualquer unidade”, afirmou Urquiza.

Pelo 3º ano consecutivo, a PMJP oferece aos trabalhadores das unidades escolares (exceto Creis) um 14º salário, caso a escola atinja 100% de êxito. A partir dos resultados no final de cada ano letivo e de acordo com a porcentagem alcançada no índice, a unidade de ensino recebe o selo de ‘Escola Nota 10’.

A Escola Cônego Matias Freire foi a única a atingir os 100% no ano passado. A diretora, Maria Vangnê, prometeu manter esse índice trabalhando duro no aprendizado do aluno e conscientizado todos os funcionários da importância deles no dia a dia.

Para alcançar esse objetivo, todas as pessoas que atuam nas escolas municipais devem trabalhar de forma solidária e comprometida com o bem comum da sociedade escolar. Com isso, novas metas têm que ser atingidas, como manter diários de classe atualizados e em bom estado de conservação; reduzir o consumo de água, evitando o desperdício, sem prejuízo das atividades pedagógicas, além de reduzir também o consumo de energia e telefone; manter a escola limpa; conservar a estrutura física e o mobiliário; e manter o cadastro atualizado no Sistema Acadêmico Municipal (SAM) que demonstre a frequência alcançada de, no mínimo, 90% dos alunos.