PMJP lança livro sobre preservação da Mata Atlântica na Capital

Por - em 88

A política ambiental da cidade de João Pessoa tem agora o seu marco regulatório, com o livro “Plano Municipal de Conservação
e Recuperação da Mata Atlântica”. A publicação foi lançada nesta quinta-feira (16), no espaço da exposição da Fundação SOS Mata Atlântica, no Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica).

Elaborado em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, a partir do trabalho dos técnicos da Divisão de Estudos e Pesquisas da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), o plano é resultado de dois anos de pesquisas. Sob a coordenação da geógrafa e professora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Lígia Tavares, foram feitos levantamentos bibliográfico e cartográfico.

Durante a pesquisa, também foram realizadas checagem de imagens via satélite, sobrevoo planejado do município com registro fotográfico,  identificação das áreas de maior pressão urbana sobre os remanescentes de Mata Atlântica e, ainda, a produção de textos, gráficos, mapas e edição de imagens, com trabalho do designer João Faissal.

“O Plano reforça as ações da Semam no sentido de preservar e recuperar as áreas verdes da Capital, seguindo as orientações da Lei Federal da Mata Atlântica”, disse o secretário de Meio Ambiente, Joácio Morais.

Plano – O Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica é o marco regulatório da política ambiental da cidade, com o mapeamento dos remanescentes florestais, incluindo manguezais,  restingas, florestas densas, unidades de conservação e parques.

Segundo Lígia, todo o conteúdo produzido pela Semam foi aproveitado na publicação, que agora atenderá a pesquisadores, estudantes e professores de geografia das escolas. “Temos consolidadas as informações sobre a João Pessoa verde”, disse. A Prefeitura de João Pessoa priorizou 20 áreas verdes para conservação ambiental, incluindo os parques urbanos já existentes.

Para o prefeito Luciano Agra, o trabalho é a concretização da política pública ambiental da cidade. “Quando cuidamos da nossa paisagem, tornando-a cada vez mais de todos, estimulamos no outro a vontade de cuidar também. Queremos que esse sentimento de cuidado se multiplique em cada um dos cidadãos. A política ambiental da cidade agora tem um guia, um instrumento objetivo para preservação das áreas verdes”, disse o prefeito.

Elaboração – O Plano da Mata Atlântica de João Pessoa começou a ser elaborado no primeiro semestre de 2010, quando a secretária adjunta da Semam, Wellintânia Freitas, participou do Encontro Nacional da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma), no Rio de Janeiro. No encontro, foi estabelecida uma parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica.

“O Plano é um compartilhamento de talentos e histórias. Esse é o guia que a gente precisava fazer. João Pessoa agora é exemplo para todas as cidades brasileiras que precisam elaborar seus planos”, frisou Mário Mantovani, diretor de mobilização da Fundação.