PMJP mobiliza frentes de trabalho para recuperar redes de drenagem

Por - em 27

A Secretaria de Infraestrutura de João Pessoa (Seinfra) está mobilizando dez frentes de serviço para trabalhar na recuperação e conservação de redes de drenagem. A ação objetiva preparar a cidade para o período de chuva e minimizar os efeitos nocivos verificados nessa etapa do ano. As intervenções foram iniciadas nesta segunda-feira (13) no bairro de Mangabeira e durante toda semana segue nos bairros de Manaíra, Torre, Bessa e Jardim Ester, em Mandacaru.

A ação se concentra na recuperação e conservação de linhas d’água, bocas de lobo, poços de visita, recuperação e redimensionamento de rede de drenagens, tubulações, canaletas, limpeza de galerias, bueiros e canais. “São pequenas intervenções que corrigem e desobstruem o caminho das águas que caem no período de inverno”, afirma Vânia Franca, diretora de Manutenção da Seinfra. Para ela, essas ações irão minimizar os transtornos à população, a exemplo de alagamentos que causam prejuízos materiais e a proliferação de doenças.

Segundo ela, os moradores das áreas periféricas da cidade, principalmente aqueles que moram à beira dos rios, são os maiores prejudicados com a chegada do inverno. O lixo obstrui a passagem da água e tende a voltar para dentro das casas. O excesso de lixo jogados nas ruas, na maior parte dos casos, também é a principal causa para a obstrução das galerias pluviais.

“É fundamental que a ação pública se antecipe com soluções simples que contribuam para o melhor funcionamento do sistema de drenagem urbana existente na nossa cidade, garantindo o escoamento das águas das chuvas e, com isso, o bem estar da população”, explica Marcelo Cavalcanti, secretário de Infraestrutura. “Todos devem levar em conta os sérios problemas que a ineficiência desses sistemas pode trazer à população”, adverte.

DICAS:

– Jogue o seu lixo coletivo ou individual nas lixeiras. Somente a Seinfra tem recolhido em torno de seis caçambas de lixo, por semana, das galerias pluviais da cidade.

– Não obstrua a passagem da água com a construção de rampas nas linhas d´água, entre a calçada e a rua, para entrada de veículos. Essa ação atrapalha a drenagem da água e compromete a vida útil do pavimento.

– Motorista, não estacione sobre as tampas de galerias. Somente no ano de 2011, aproximadamente 200 tampas de galerias foram danificadas ou destruídas.

– Comerciante, não jogue seus insumos nas galerias pluviais. Os restos de manteiga, óleo e de comidas poluem as águas dos rios.