PMJP planta mais de 20 mil mudas de árvores em 2010

Por - em 29

Praças, calçadas, escolas, universidades, organizações não governamentais, empresas e até outras cidades da Paraíba receberam mudas de árvores produzidas pelo Viveiro Municipal de Plantas Nativas, mantido pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP). No ano passado foram plantadas 20.644 mudas de árvores nativas. As mais solicitadas são os ipês amarelos e roxos, sibipiruna, pau ferro e pau brasil.

O Viveiro é uma iniciativa da Divisão de Botânica da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) e está inserido no projeto João Pessoa Verde para o Mundo, lançado em 2007. Onze profissionais trabalham no Viveiro. As sementes são coletadas em várias áreas do Estado, como na Mata do Pau Ferro, na cidade de Areia. Uma equipe passa o fim de semana coletando sementes em árvores cadastradas. Em seguida, já no Viveiro, é feito o processo de secagem e o plantio.

Áreas degradadas e espaços urbanos – Para áreas degradadas, as mudas devem atingir 80 cm antes de serem plantadas, o que leva em média quatro meses. Já nas áreas urbanas, como praças, calçadas, canteiros centrais e jardins públicos, a muda passa aproximadamente dois anos no Viveiro e quando atinge dois metros de altura é feito o plantio. Nas áreas urbanas, é preciso a avaliação de um técnico da Semam. Para se plantar árvores em calçadas, a planta precisa ter o sistema radicular pivotante, ou seja, são árvores com raízes profundas, que não quebram calçadas e não danificam os imóveis.

Educação ambiental – Cada instituição, ou mesmo morador que recebe uma muda de planta, é orientada por técnicos da Secretaria de Meio Ambiente. As mudas doadas são acompanhadas de uma ficha técnica de cadastro, com o nome do responsável. No ano passado, 13 cidades da Paraíba receberam 1.465 mudas de árvores nativas, doadas pelo Viveiro. Escolas públicas e privadas também foram beneficiadas com 1.624 mudas.

Recuperação de área degradada – Mais de 18 mudas de árvores nativas foram plantadas na barreira do Cabo Branco, Mata do Buraquinho, Rio Cuiá, praia do Seixas e Rio Cabelo. As mudas plantadas deverão contribuir para conter a barreira do Cabo Branco e ainda preservar as margens dos rios.

Para o chefe da Divisão de Botânica da Semam, engenheiro agrônomo Anderson Fontes, uma boa cobertura vegetal contribui para o conforto ambiental da cidade. “As sombras diminuem a temperatura e ainda aumentam a durabilidade da camada de asfalto, que recebem menos sol”, complementou.