PMJP prepara ceia natalina para população em situação de rua nesta quarta

Por - em 25

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) oferece nesta quarta-feira (21), a tradicional ceia natalina para a população em situação de rua de João Pessoa, a partir das  18h, no Restaurante Popular da Lagoa, localizado no anel externo do Parque Solon de Lucena. O jantar, realizado pelo sexto ano consecutivo, é um momento bastante esperado pelas cerca de 200 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos assistidos pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Desenvolvimento Social.

No cardápio será servido frango ao molho rosé, arroz à grega, salada de verduras, suco de frutas e uma sobremesa. Haverá a realização de um culto ecumênico com o pastor Daniel, do Cidade Viva, e o diácono Eduardo, da paróquia São Rafael. Também estão programadas apresentações culturais do Coral Vozes do São José, do Projovem Adolescente do bairro São José, e dos profissionais do Programa Ruartes.

Para o secretário de Desenvolvimento Social, Lau Siqueira, esta ceia é simbólica porque alerta para uma política pública que vem sendo desenvolvida na cidade de João Pessoa. “As políticas sociais, sabemos, vêm sendo priorizadas pela prefeitura desde 2005 e o prefeito Luciano Agra sempre repete que temos pressa quando se trata de combater a extrema pobreza”.

Lau destaca que este é um problema mundial, histórico, político, cultural e, portanto, bastante complexo. “Ninguém merece ter uma calçada como leito e uma marquize como teto. As pessoas não estão morando na rua por opção, mas por falta de opção. Estas pessoas alcançaram o grau máximo de vulnerabilidade social e precisam de cuidados especiais para almejar a cidadania plena”.

Centro de Referência – Pensando nessas pessoas, a Prefeitura inaugurou em junho um Centro de Referência Especializado de Assistência Social especificamente para o atendimento à população de rua, o Creas-Pop. Localizado na rua Diogo Velho, s/n, no Parque Solon de Lucena, o Creas-Pop é uma unidade de serviço que atende famílias ou indivíduos que tiveram seus direitos violados. Estas pessoas recebem atendimento personalizado e continuado, com intervenções especializadas, que vão desde a escuta, feita por profissionais, até os encaminhamentos para a rede de proteção social e o sistema de garantia de direitos.

Ações continuadas – Entre as muitas ações realizadas pela Prefeitura de João Pessoa no sentido de garantir os direitos destas pessoas, são distribuídas diariamente pela Sedes, pelo menos setenta quentinhas para estas pessoas, na Lagoa.

Também foi organizado, desde 2005, o Sistema de Retaguarda e Acolhida da PMJP, que conta com o Programa Ruartes; Centro de Formação Margarida Pereira da Silva; dois abrigos: Manaíra (que possui uma casa para meninos e outra para meninas) e Morada do Betinho (que só atende meninos); duas Casas de Acolhida para Crianças e Adolescentes, sendo uma feminina e outra masculina; Casa de Passagem e a Casa de Acolhida para Adultos.

Programa Ruartes – Programa de abordagem de crianças e adolescentes em situação de rua. A proposta se utiliza basicamente da linguagem artística para facilitar a aproximação. Depois da abordagem é feito o encaminhamento, seja para um retorno à comunidade, seja para uma das unidades de acolhimento. Conta com uma equipe multidisciplinar que atua principalmente em quatro áreas da Capital: Terminal Rodoviário, Parque Solon de Lucena (Lagoa), Mercado Central, e na orla (praias de Tambaú e Manaíra).

Centro de Formação Margarida Pereira da Silva – Desenvolve atividades ludo-pedagógicas, artísticas, de esporte, de escolarização e qualificação profissional com as crianças e adolescentes acolhidos.

Abrigos Manaíra e Morada do Betinho – Os abrigos acolhem crianças e adolescentes que ou perderam o vínculo com a família biológica ou suas famílias se encontram em situação de alta vulnerabilidade, ficando inviabilizada a guarda dos filhos. Os acolhidos frequentam a escola num período e no outro, as atividades da instituição pertinentes a vida de outras crianças, como serviços médicos, odontológicos, psicológicos, de esporte, pedagógicas, lazer e cultura.  O Abrigo Manaíra tem capacidade para atender 16 meninos e meninas e a Morada do Betinho, atende 16 meninos. A Morada é uma parceria entre a PMJP e a Infraero

Casas de Acolhida para Crianças e Adolescentes, feminina e masculina – Acolhe meninos e meninas em situação de rua. Busca a construção de interelações saudáveis, vínculos de sociabilidade e aquisição de valores éticos. Durante o dia frequentam o Centro de Formação Margarida. A Casa masculina tem capacidade para 16 meninos e a feminina para 12 meninas.

Casa de Passagem – Acolhe emergencialmente crianças, adolescentes e familiares em situação de risco social e pessoal. Tem capacidade para 24 acolhimentos. Os acolhidos também participam de atividades educativas.

Casa de Acolhida Adulto – Inaugurada em março de 2007, acolhe adultos em situação de rua, sensibilizando-os e construindo possibilidades para geração de trabalho e renda – reinserção social. Tem capacidade para 30 acolhimentos, oferecendo proteção, segurança e higienização.