PMJP promove semana de atividades voltadas para educação no trânsito

Por - em 39

A Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) promove, a partir desta terça (18), a “Semana de Oficinas Simultâneas da Educação para o Trânsito”. As atividades acontecerão até o próximo dia 25, nas 91 escolas da rede municipal de ensino e têm como objetivo divulgar as realizações do programa “João Pessoa: cidade que anda”, uma política pública da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) que busca promover uma nova concepção de Educação para o Trânsito.

As atividades do programa são realizadas pela coordenação de Educação para o Trânsito da Sedec, seguindo os três pilares centrais: comunicação, locomoção e convívio social. “O programa teve início em 2005 e, desde então, vem executando ações como a formação de professores e campanhas educativas, por meio de parcerias com a Superintendência de Transportes e Trânsito (Sttrans), além de planejamento interdisciplinar com os alunos da rede municipal”, explica Micherlane de Melo Caldeiras Souto, uma das coordenadoras do programa pela Sedec.

As oficinas programadas para o evento vão trabalhar cinco eixos temáticos: “Ir e vir: diretos de todos”, “O jeito de ser dos lugares”, “Locomoção”, “As cidades” e ‘Transitar é conviver”. Cada escola participante terá atividades lúdicas e pedagógicas distintas, desenvolvidas de acordo com vivência escolar do projeto em cada pólo.

Maratona – A programação voltadas para as escolas municipais que integram Pólo 1 inclui exibição de filmes, debates, panfletagem e palestras. No Pólo 2, serão realizadas palestras nas escolas, caminhada educativa, produções textuais, apresentações de teatro e hip hop, tendo como parceiros a STtrans e a Polícia Rodoviária Federal. As escolas que compõem o Pólo 3 poderão participar de palestras educativas, oficinas pedagógicas, exposição de vídeos e filmes e ainda uma gincana cultural com questões referentes ao trânsito.

Já nas escolas do Pólo 4, as atividades programadas são exposição cultural, aulas expositivas e criação de letras de rap e artes plásticas. As escolas que formam o Pólo 5 vão realizar atividades musicais, dramatização e oficinas de confecção de jogos, recorte e colagem, desenho e pintura e confecção de maquetes. O Pólo 6 terá na sua programação sinalização do meio escolar, palestras, elaborações de músicas, paródias e dramatização.

As escolas do Pólo 7 realizarão construção de maquetes e painéis, dramatizações e jogos pedagógicos. Já no Pólo 8 serão realizadas palestras, dramatizações, caminhada escolar, oficinas musicais, de pintura, organização do trânsito e jogos educativos. Por fim, no Pólo 9 haverá apresentação de grupos de repentistas de Cordel, Oficinas de literatura de cordel e apresentação de uma peça teatral.

Jovens e adultos – No dia 20, às 9h, no auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), será realizada a palestra “O estatuto do pedestre”, ministrada pelo José Batista do Nascimento, especialista em educação para o trânsito. A atividade está sendo organizada pelos alunos do Ensino de Jovens e Adultos (EJA), da escola Antônio Santos Coelho Neto, que assistem aulas no anexo do Espaço do Servidor, no CAM.

Durante a semana, os alunos vão expor fotografias, cartazes, além de produção textual e uma encenação teatral sobre a temática trabalhada. “Esses alunos são servidores municipais e formularam uma programação com intenção de contemplar seus colegas de trabalho”, comentou Dilma Ventura, educadora do EJA.

Os trabalhos que os alunos da EJA irão apresentar provam que o trânsito é apreendido de maneira interdisciplinar, onde todos os conhecimentos podem ser inseridos no aprendizado. As exposições que irão ser apresentadas fazem parte da atividade realizada no dia 11 de agosto, em Camuripi-Tramatai, terra indígena, localizada na Baía da Traição. Na ocasião, os alunos tiveram, na prática, as mais diversas noções do trânsito, tais como o trânsito na matemática através da multiplicação da quilometragem da viagem; trânsito na história da comunidade local; trânsito na geografia, com a observação dos mapas da cidade; e o trânsito e o meio ambiente, com estudo da localização.

“Nós pensamos essa dramatização como uma maneira de informar nossos colegas sobre a importância de se aprender sobre o trânsito, principalmente os pedestres, através da utilização das faixas e de como construir um trânsito mais seguro”, explicou Francisco Gomes Ferreira, aluno do EJA.