PMJP promove seminário sobre inclusão e exclusão social

Por - em 39

Secretários municipais e diversas autoridades estão participando na Estação Ciência, Cultura e Artes, do seminário ‘Topografia Social de João Pessoa’ que trata da inclusão e exclusão social na Capital. A vulnerabilidade das famílias de João Pessoa e os programas de transferência de renda; a territorialização da gestão social e as perspectivas de relação com a saúde e educação estão sendo abordados junto com os gestores municipais nas discussões que tiveram início na quarta-feira (9) e termina nesta quarta-feira (10).

Promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa em parceria com a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) e com a colaboração da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) o seminário discutiu junto aos gestores públicos o mapa de inclusão e exclusão nas 14 regiões orçamentárias do município para aperfeiçoar as políticas públicas desenvolvidas pelo governo municipal.

“Precisamos compreender melhor a realidade a ser transformada e identificar as áreas que devem ter prioridade nas políticas públicas”, destacou o secretário adjunto de Assistência Social, Lau Siqueira.

A professora doutora do Centro de Estudos de Desigualdade Sócio-Territoriais da PUC-SP, Aldaiza Sposati, que esta à frente das discussões, falou da importância de se estudar a população no lugar onde as mesmas vivem. Suas condições de moradia, de saúde e educação são de suma importância para poder entender como se dá a ocupação do espaço físico da cidade.

“São poucas as cidades que fazem à discussão da topografia social que mistura as ciências exatas às sociais e analisa a cidade de vários ângulos para buscar soluções. Nossa metodologia parte da análise do relevo e ocupação do espaço físico das cidades, depois analisamos os padrões de ocupação e discutimos suas características, para entender as discrepâncias e propor a intensificação de políticas públicas nessas áreas com baixo índice de desenvolvimento humano, equidade, qualidade de vida e autonomia”, destacou.

Instrumento de realidade – Segundo Aldaíza Sposati o mapa da inclusão e exclusão social é um instrumento que possibilita a leitura da realidade social dos territórios de uma cidade estabelecendo a relação comparativa da parte com o todo e a reconstrução desse todo pela incidência das manifestações da exclusão e inclusão social. “Não há como olhar a realidade sem olhar o território. Precisamos entender as condições concretas para poder atuar de forma a minimizar as carências da população”, explicou. A professora destacou ainda a importância da capital pessoense na preservação das áreas verdes, tão importante e tão necessária e elogiou a gestão do prefeito Ricardo Coutinho destacando o processo de democratização da capital.