PMJP vai disponibilizar urnas para escolher nome da Estação Ciência

Por - em 35

Quem não tem acesso à Internet também poderá participar da escolha do nome da Estação Ciência, que será inaugurada no próximo dia 3. Nesta quinta e sexta-feira (26 e 27), a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) vai disponibilizar urnas em 10 pontos de maior circulação de pessoas na cidade, a fim de democratizar o processo, iniciado através de enquete no site do Governo Municipal. Foram confeccionadas 10 mil cédulas, com as quatro opções de nome: Estação Cabo Branco, Estação do Sol, Estação Extremo Oriental e Estação dos Sonhos.

A secretária de Transparência Pública, Estelizabel Bezerra, disse que a participação popular se tornou uma característica da atual gestão. “Essa mudança de paradigma atinge todas as decisões deste governo, da aplicação dos recursos até um ato mais simbólico como esse de escolher o nome da Estação Ciência. Queremos que toda a cidade esteja envolvida na escolha do nome desta obra fundamental para a cidade e tenha esse sentimento de pertencimento”, disse.

Os locais – As urnas serão instaladas na Lagoa do Parque Solon de Lucena, no Tambiá Shopping, no Manaíra Shopping, Terminal de Integração do Varadouro, Shopping Sul, Shopping 4.400, Paço Municipal, Centro Administrativo Municipal (CAM), Mercado de Mangabeira e Mercado Central. Vinte estudantes do ProJovem darão apoio do trabalho. Na quinta-feira, as urnas estarão abertas das 13h às 17h e na sexta, das 9h às 16h.

Os nomes – Todos os nomes propostos fazem alusão ao espaço geográfico e características do local onde a obra foi edificada. A população poderá escolher entres os nomes ‘Estação Cabo Branco’ (que faz alusão ao parque onde foi construída), ‘Estação Extremo Oriental’ (pela localização próxima ao ponto mais oriental das Américas: a Ponta do Seixas), ‘Estação dos Sonhos’ (lembra o núcleo central do parque do Cabo Branco, chamado de Bosque dos Sonhos) e ‘Estação do Sol’ (fazendo alusão à cidade onde o sol brilha o ano todo e aparece primeiro).

A Estação Ciência tem cerca de 8,5 mil metros quadrados de área construída, divididos em cinco blocos: torre, anfiteatro, auditório, serviços e estacionamento. A obra custou cerca de R$ 35 milhões e o projeto arquitetônico foi assinado pelo arquiteto Oscar Niemeyer.