PMJP vai iniciar limpeza do Rio Jaguaribe para evitar alagamentos

Por - em 57

Engenheiros de cinco diferentes áreas da Prefeitura Municipal de João Pessoa, que participam de forma integrada do ‘Plano de Ação de Contingência da Chuva’, visitaram na tarde desta segunda-feira (23) diferentes áreas críticas da cidade que é cortada pelo Rio Jaguaribe. O objetivo era fazer uma “vistoria técnica” e identificar o que precisa ser feito para acabar com as obstruções do curso natural do rio, que são responsáveis pelos alagamentos em período de chuva.

Segundo o coordenador da Defesa Civil do Município, Rodrigo Marques, nestes locais foi identificado um grande acúmulo de lixo e vegetação que em dias de chuva mais forte impede que a água escoe pelo seu leito normal. A solução, segundo ele, é dragar e escavar alguns pontos.

“Este foi o primeiro momento da intervenção que faremos. A partir destas visitas vamos preparar um relatório técnico que será analisado pelo grupo de trabalho formado para solucionar os problemas provocados pela chuva em João Pessoa. Nos próximos dias vamos definir em reunião o que de fato precisa se feito”, frisou Rodrigo.

A vistoria contou com engenheiros da Secretaria de Infraestrutura, Defesa Civil, Secretaria de Meio Ambiente, Emlur e Coordenação do PAC em João Pessoa. A equipe visitou a foz do rio em Mandacaru, o Bairro São José, a ponte que fica na Avenida Epitácio Pessoa e a parte do rio que corta a Avenida Beira Rio. “O rio está assoreado em todas estes locais e uma intervenção rápida se mostra necessária”.

Para o engenheiro Glauco Oliveira, que é coordenador do PAC e do Fundo Municipal de Urbanização (de onde sairá a verba a ser investida nas melhorias do Rio Jaguaribe), as obras serão feitas em caráter emergencial para evitar que novos alagamentos sejam registrados em pontos críticos de João Pessoa.

“Devemos começar o trabalho pela foz do rio, em Mandacaru, e depois vamos subindo para aos poucos limpar todos os locais problemáticos identificados. Sem lixo e sem a vegetação que tomou conta do rio, a água vai seguir seu rumo. De imediato veremos as melhorias”, antecipa Glauco Oliveira.

Ele destaca também que precisarão ser contratados os trabalhos de uma draga e de uma escavadeira para acabar com a retenção da água do rio, mas enfatiza que a ação será rápida.

“Vamos aproveitar o estado de emergência decretado na cidade pelo prefeito Luciano Agra para agilizar estas ações, que vai melhorar a vida da população ribeirinha e do trânsito nestas avenidas que são margeadas pelo rio e que nas últimas chuvas foram tomadas pela água. Serão ações localizadas e cirúrgicas, mas que vão minimizar os problemas”, concluiu.