PMJP vai investir R$ 23 milhões nas áreas de risco da Capital

Por - em 43

O prefeito Luciano Agra e equipes da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) visitaram na manhã desta quarta-feira (26) a comunidade Saturnino de Brito, no Varadouro. Na comunidade existem moradias em situação de risco de enchentes e de desabamentos caso chuvas mais intensas voltem a atingir a cidade. Para a área, a prefeitura prevê a construção de 400 novas moradias para a relocação das famílias em situação mais crítica e também das comunidades Santa Emília de Rodat e Renascença, na mesma região. Os investimentos são na ordem de R$ 23,7 milhões.

“Este é um primeiro momento em que queremos garantir uma assistência de proteção e acolhimento às famílias que estejam em situação de risco, enquanto damos andamento aos projetos de intervenção que a prefeitura já dispõe para algumas dessas comunidades, a exemplo da construção de novas moradias”, enfatizou Luciano Agra.

Na comunidade Saturnino de Brito, o prefeito, juntamente com secretários da administração municipal, conferiu a situação de várias casas que estão próximas à barreira e com maior risco de desabamento. Segundo dados da Secretaria de Desenvolvimento Social do município (Sedes), no local 45 casas apresentam um grau maior de risco e outras 25 na comunidade Renascença também apresentam o mesmo problema.

De acordo com o secretário de Habitação Social do município (Semhab), José Guilherme, a construção das unidades habitacionais para os moradores das três comunidades deverá ser iniciada ainda este ano e está prevista na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II). Até março deste ano, o projeto definitivo da obra deverá ser entregue ao governo federal.

Ações contínuas – O prefeito Luciano Agra lembrou que apesar das chuvas dos últimos dias, a Prefeitura continua com ações preventivas em várias áreas de risco em toda a cidade. “A situação geral não é de calamidade como aconteceu em outras cidades do País, mas o trabalho intenso por parte de nossas equipes se mantém para garantir que os problemas não se agravem”, ressaltou o prefeito.

No final da manhã, os técnicos da prefeitura também estiveram nas comunidades de Riachinho, no Jardim 13 de Maio, onde continua a assistência às famílias que ficaram desabrigadas, e também no Timbó, nos Bancários. Naquela comunidade estão sendo construídas 198 unidades habitacionais destinadas às famílias que residem próximas à barreira.

Cadastros – Equipes da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) também continuam o cadastramento das famílias das áreas de risco que irão receber o auxílio-moradia. Só no Riachinho, a estimativa é que 63 famílias possam receber o benefício a partir da próxima semana. Por enquanto, seis delas continuam abrigadas na Escola Estadual Maria Quitéria, recebendo assistência e alimentação por parte da PMJP, além de doações feitas pela própria população.

Ainda de forma contínua, equipes da Seinfra e Emlur continuam atuando nessas comunidades garantindo a desobstrução das galerias pluviais e o recolhimento do lixo para evitar novas inundações.

A visita desta quarta-feira às áreas de risco da capital contou com a presença de técnicos das Secretarias de Desenvolvimento Social, Infraestrutura, Meio Ambiente, Planejamento, Habitação, Coordenadoria do PAC, Defesa Civil e Guarda Municipal.de atendimento ao público e intercomunicação com os agentes e fiscais, em campo.