Poetas do Absurdo e Detonautas encerram o Estação, no sábado

Por - em 22

Os shows das bandas Poetas do Absurdo e Detonautas encerram neste sábado (31), a programação do Festival Estação Nordeste, promovido pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope). As apresentações terão início às 21h no palco instalado entre as praias de Cabo Branco e Tambaú.

A primeira atração da noite é a banda paraibana Poetas do Absurdo, formada por Pedro Paulo (voz e guitarra), Fabiano Soares (voz e baixo), Lucas Dantas (voz e guitarra) e André Evangelista (bateria). O nome do grupo é uma homenagem ao poeta paraibano Zé Limeira, que ficou bastante conhecido pelo epíteto ‘Poeta do Absurdo’. Em três anos de existência, eles atuam no cenário da música independente, buscando elaborar ritmos como o rock clássico na sua essência, influenciados nitidamente pelo rock produzido nas décadas de 70 e 90, períodos em que o gênero realizou saltos qualitativos em todas as suas vertentes.

Após gravar o seu primeiro trabalho, ‘Produto do ócio’, e ter participado de vários festivais em importantes capitais do país, a banda lançou o seu primeiro CD oficial, ‘Demônios do tédio’, no qual o desenhista paraibano Shiko fez a ilustração da capa. O álbum, que conta com 11 faixas autorais, foi gravado no Studio Solo em Curitiba, no Paraná, com produção técnica e musical de Victor França.

Detonautas – A história da banda ‘Detonautas Roque Clube’, a segunda atração da noite, se mistura com o início da febre da Internet no Brasil. Em 1997, Tico Santa Cruz apareceu em uma sala de bate-papo perguntando se alguém ali tocava algum instrumento. Eduardo Simão, que também freqüentava a sala, respondeu e passou a ser conhecido por seu ‘nick’ das salas de bate-papo, ‘Tchello’. Tico morava em Copacabana, no Rio de Janeiro, e o mineiro Eduardo administrava uma pousada em Ilhéus, na Bahia.

Após o encontro dos dois precursores no Rio de Janeiro, a banda passou por várias formações, até que mais integrantes fossem recrutados através da Internet. Graças à insistência principalmente de Tico Santa Cruz e à providencial ajuda de seu amigo, Gabriel, O Pensador, os Detonautas foram conseguindo seu espaço, primeiro nas rádios e depois amadurecendo na estrada. Após muitas idas e vindas, a produtora Warner Music Brasil contratou a banda, remixou e lançou o álbum que, embalado com os singles ‘Outro lugar’ e ‘Quando o sol se for’, foi um grande sucesso nacional.

A banda, formada atualmente pelos músicos Tico Santa Cruz (vocal), Cléston (DJ e percussão), Renato Rocha (guitarra e vocal de apoio), Tchello (baixo), Fábio Brasil (bateria) e Phelippe (guitarra), já conta com quatro CD’s gravados: ‘Detonautas Roque Clube’ (2002), ‘Roque Marciano’ (2004), ‘Psicodeliamorsexo&distorção’ (2006) e ‘O Retorno de Saturno’ (2008).

Incidente
– Uma tragédia marcou a trajetória da banda em 4 de junho de 2006. Aos 29 anos, o guitarrista Rodrigo Netto foi assassinado ao passar com seu carro numa das mais importantes avenidas do Rio de Janeiro. Os bandidos queriam seu carro. Rodrigo não reagiu ao assalto, pois nem viu os assaltantes, levou um tiro no peito e faleceu no local. No carro estavam sua avó e seu irmão Rafael da Silva Netto, que também foi atingido por dois tiros, mas sobreviveu.

Segundo os integrantes dos ‘Detonautas’, eles tentam superar a dor da perda lembrando os momentos bons e registrando isso em seus corpos. Tchello, o baixista da banda, tatuou em suas costas uma imagem do rosto de Rodrigo, como forma de homenagear o amigo que teve ao longo de 16 anos e Tico tatuou na costela a assinatura do colega morto prematuramente.