Poluição sonora: Cartilha chega às escolas na próxima semana

Por - em 27

Foi lançada oficialmente nesta quinta-feira (4) a Cartilha de Combate à Poluição Sonora, que será distribuída nas escolas da rede pública municipal, entre os alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. A partir da próxima semana, cerca de 30 mil cartilhas educativas com lições de cidadania e conscientização sobre a temática servirão de apoio aos professores no desenvolvimento de trabalhos e atividades dentro das salas de aula. A solenidade aconteceu no Auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), no bairro de Água Fria, e faz parte da campanha ‘Cidade com som alto, Educação lá em baixo. Seja sempre educado’, uma parceria entre as secretarias do Meio Ambiente (Semam) e da Educação (Sedec).

Na opinião do titular da Semam, Antonio Augusto de Almeida, a campanha é importante pela força da parceria de duas secretarias, como também pelo trabalho de conscientização junto ao público jovem, para que seja multiplicador das ações de combate à poluição sonora. “Precisamos ensinar nossos jovens que poluição não é apenas causada pelo lixo, mas principalmente pelo excesso de som. Já está provado cientificamente que esse tipo de poluição causa danos à saúde, como doenças nervosas, auditivas e cardiovasculares, além de incomodar as pessoas e os animais”, disse.

Já Ariane Norma de Menezes Sá, titular da Sedec, entende que o objetivo da Secretaria nessa parceria é formar cidadãos conscientes e integrados ao meio em que vivem. “Pensamos nas crianças e jovens como público alvo, porque a maioria não tem tanta noção do quanto um som alto – num automóvel, por exemplo – incomoda e faz mal às pessoas. Então, devemos conscientizá-los para que se tornem multiplicadores dentro de suas próprias casas e desenvolvam uma consciência familiar”, relatou.

A distribuição do material nas escolas começa na próxima semana, conforme calendário elaborado pelos educadores. Os alunos terão a oportunidade de conversar com fiscais da Semam e de conhecer o decibelímetro – equipamento que mede a intensidade do som. “Os professores deverão procurar a coordenação da própria escola e fazer o agendamento da distribuição do material e visita dos técnicos, para então comunicarmos à Seman o melhor dia”, explicou a diretora do Controle Ambiental da Seman, Lúcia Espínola.

Cartilha – A cartilha é um livreto para colorir, que apresenta personagens (professora e alunos) conversando dentro da sala de aula sobre a definição, importância e combate à poluição sonora. A professora explica que poluição não é só sujeira, mas também o barulho que incomoda as pessoas e o meio ambiente. O debate é focado nos problemas causados por essa poluição e a falta de educação que ela promove. Nessa cartilha a personagem professora ensina seus alunos sobre a unidade de medida do som, que é chamada de decibéis, dentre outras coisas relacionadas com a temática.