Pré-natal realizado na PMJP garante saúde da mãe e do bebê

Por - em 102

Garantir uma gestação saudável e qualidade de vida para as mães e bebês. Esse é o principal objetivo do serviço de pré-natal oferecido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), disponível na rede básica de saúde. Para as mães com gravidez de alto risco é oferecido um acompanhamento mais preciso no Instituto Cândida Vargas (ICV), onde é disponibilizada, além de exames de rotina e ultrassonografia,  a Unidade de Cuidados às Gestantes (UCG).

O pré-natal é realizado nas Unidades de Saúde da Família (USFs), Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Centros de Atendimento Integrado de Saúde (Cais). De acordo com a técnica da Saúde da Mulher, da Divisão de Assistência à Saúde da SMS, Maria Francisca Claudino, o pré-natal é feito do início ao fim da gestação. “As consultas são regulares e até o sétimo mês é feita uma consulta mensal. A partir daí são quinzenais e no último mês, semanal. O acompanhamento é feito por toda equipe e é extensivo até o período puerperal, que é o pós-parto”, disse ela.

Conforme a técnica, durante o pré-natal a gestante realiza vários exames, que são oferecidos na rede municipal. “Os exames são realizados a cada trimestre. Porém, as sorologias são feitas apenas no último trimestre”, disse, ressaltando que os exames são colhidos no Cais mais próximo e são realizados no Laboratório Central Municipal (Lacen), com prioridade para a marcação.

No caso da paciente ter algum problema de saúde, como hipertensão, diabetes, dentre outros, ela é encaminhada ao ambulatório do ICV, onde é realizado o pré-natal de alto risco. Mesmo com o encaminhamento para o ICV, a gestante continua sendo acompanhada, em paralelo, pela unidade de saúde.

A comerciante Ana Célia de Souza, de 40 anos, foi encaminhada para o ICV devido à idade avançada para ter o primeiro filho. “Meu bebê está previsto para nascer no final deste mês e até agora está tudo correndo bem. Estou tomando medicação, tive orientação quanto à alimentação e só preciso fazer uma última ultrassonografia antes do nascimento”, disse ela.

De acordo com o médico Edivaldo do Egypto, o pré-natal é um procedimento essencial para qualquer gestante, sobretudo, para quem tem mais de 35 anos ou as mães adolescentes. “Elas correm o risco de desenvolverem hipertensão ou diabetes, então é necessário um monitoramento constante”.

A adolescente de 19 anos, Jéssica Maiara, com sete meses de gestação, teve problemas com a placenta e foi encaminhada para o ICV por intermédio da USF. “Eu fui aconselhada a não fazer esforço porque o bebê pode nascer antes do tempo. Além disso, estou tomando vitaminas e seguindo uma dieta saudável”.

Segundo a coordenadora de Enfermagem e Ambulatório do ICV, Maria Lúcia Brandão, as gestantes também têm acesso à orientação nutricional, a um trabalho de fisioterapia durante a gestação, além de acompanhamento psicológico, em que o companheiro da paciente também pode participar. “Desta forma, as mães adquirem mais segurança para terem seus filhos”.

Maria Lúcia Brandão disse que casos de gravidez com risco ainda maior são encaminhados à Unidade de Cuidados às Gestantes (UCG). “Na unidade as gestantes ficam internadas até melhorarem seu estado ou terem o bebê”.

A enfermeira da UCG, Raíssa Lígia, explicou que é feito um monitoramento constante nas pacientes. “Medimos a pressão a cada duas horas, realizamos exames de glicemia, ultrassonografia e laboratoriais, e passamos medicação”.

Renata Maia, de 18 anos, é uma das pacientes da unidade. Nesta sexta-feira (4) ela teve seu bebê com sete meses de gestação porque estava com alto nível de hipertensão e o cordão umbilical poderia prejudicar seu filho. “Eu tomei uma medicação específica para amadurecer o pulmão do meu filho, diminuindo os riscos para ele. Se eu não tivesse passado a última semana da gravidez na unidade, poderia ter perdido meu bebê”, afirmou a jovem.

Faixa etária – De janeiro a 30 de setembro deste ano, foram cadastradas 4.317 gestantes pela SMS, segundo dados do Sisprenatal do Ministério da Saúde. Do total, a maioria, 1.265, estava na faixa etária de 20 a 24 anos de idade. Outras 1.066 tinham de 25 a 29 anos e 897 grávidas estavam com idade de 15 a 19 anos. Durante todo o ano de 2010 foram cadastradas 7.261 gestantes.

Exames de rotina solicitados durante o pré-natal

– Hemograma

– Glicemia

– VDRL

– Tipagem sanguínea e Fator Rh

– Sumário de Urina

– Ultrassonografia

 

Sorologias

– HIV

– Toxoplasmose

– Hepatite B

– Citomegalovírus

– Rubeóla

 

Gestantes cadastradas no Sisprenatal até 30/09/2011, por faixa etária

De 10 – 14 anos: 90 Gestantes

De 15 – 19 anos: 897 Gestantes

De 20 – 24 anos: 1.265 Gestantes

De 25 – 29 anos: 1.066 Gestantes

De 30 – 34 anos: 675 Gestantes

De 35 – 39 anos: 265 Gestantes

De 40 – 44 anos: 55 Gestantes

De 45 – 49 anos: 4 Gestantes