Prefeito entrega Residencial Gervásio Maia, nesta quinta

Por - em 48

O maior e mais completo empreendimento habitacional construído no Governo Lula, em nível nacional, segundo pesquisa da Caixa Econômica Federal (CEF), será entregue nesta quinta-feira (20), às 16h, na área onde será construída a futura praça do conjunto. O Residencial Gervásio Maia, na zona sul de João Pessoa, tem 1.336 casas e equipamentos comunitários como escola com dez salas de aula, quadra coberta, Unidades de Saúde da Família (USFs), creche e praças. A obra também conta com uma infra-estrutura que inclui saneamento, pavimentação das principais ruas, urbanização da área e custou aos cofres dos governos Federal e Municipal R$ 24.070.130,40.

Para o Residencial foram transferidas 959 famílias que viviam em acampamentos, diversos prédios públicos e outras moradias provisórias existentes na Capital paraibana. Entre as moradias, 300 delas distribuídas pelo Programa de Crédito Solidário, beneficiaram o Movimento de Luta por Moradia e a Central de Movimentos Populares, enquanto que as 77 casas restantes serão entregues a vendedores ambulantes e servidores municipais, igualmente selecionados por sorteio. São mais de 4 mil pessoas, considerando uma média de três por família, que já estão residindo lá no ‘Gervásio Maia’.

São famílias das comunidades Chico Mendes, Jorge Luiz, Pedro Teixeira; prédios da Cibrazem, do Matadouro, da LBA, do INSS; Vila Vitória, Monte das Oliveiras, Condomínio do Cristo, Acampamentos Margarida Maria Alves e 19 de Maio; Distrito Mecânico, Titanic, Fábrica de Gelo, Asa Branca, Condomínio Vitória, Balcão de Direitos, Defesa Civil, agentes da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) e ambulantes.

Em vários bairros – Segundo a secretária Municipal de Habitação Social, Emília Correia Lima, desde o início do Governo Lula até agora este é o empreendimento habitacional mais completo. Agora, o Governo Municipal contabiliza 2.539 casas entregues pelo prefeito Ricardo Coutinho (PSB) até hoje. Além das 1.336 casas do Residencial Gervásio Maia, o gestor municipal já entregou 48 apartamentos no Residencial Araçá; 149 casas no Sérgio Queiroz (Valentina); seis pela Contribuição Social e mil distribuídas em mais 43 bairros pelo Programa de Subsídio Habitacional (PSH), que transforma casas de taipa em alvenaria.

Para Roberto Guilherme da Silva, um dos coordenadores do Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM) na Paraíba, esse foi um grande avanço para a cidade de João Pessoa. Ele entende que o Residencial Gervásio Maia é um conjunto de casas dignas que trouxe qualidade de vida para os moradores.

O começo – A ordem de serviço assinada pelo prefeito Ricardo Coutinho (PSB), autorizando o início da construção do então Loteamento Parque Sul, ocorreu em março de 2006, no Colinas do Sul, ocasião em que ele também lançou o programa ‘Minha Casa, Nossa Cidade’. O nome mudou para Residencial Gervásio Maia, em homenagem ao ex-secretário de Finanças do município, falecido em agosto último.

As casas foram edificadas em área de 30 hectares (ou 300 mil metros quadrados). Cada casa conta com dois quartos, sala de estar, jantar, cozinha, banheiro e custará ao morador uma prestação que vai variar entre R$ 30,00 e R$ 50,00. Dez pessoas, entre portadores de necessidades especiais e idosos, vão receber moradias diferenciadas que foram adaptados com barras e rampas de acesso.

Programação – A solenidade de entrega das 1.336 casas do Condomínio Residencial Gervásio Maia vai contar com a apresentação da Banda Municipal 5 de Agosto e do grupo de pagode ‘Bereguedê’. Haverá o plantio de 23 árvores, entre ipês roxos e amarelos, simbolizando as 16 comunidades e sete pessoas que contribuíram para que o sonho se concretizasse.

Na ocasião, serão homenageados o prefeito Ricardo Coutinho; a secretária Municipal de Habitação Social (Semhab), Emília Correia Lima, como diretora de Produção da Secretaria Nacional de Habitação do Ministério das Cidades; o secretário de Infra-Estrutura, João Azevedo; o representante do ex-secretário das Finanças, Gervásio Maia (em memória); o secretário de Planejamento, Luciano Agra; o superintendente da Caixa Econômica Federal na Paraíba, Jorge Gurgel, e um operário representando os 592 que trabalharam na obra.