Prefeito inaugura as alças da Beira Rio, nesta quinta-feira

Por - em 32

Quinze veículos das décadas de 50 e 60 serão os primeiros a trafegar pelas alças viárias que ligarão a avenida Beira Rio à BR-230. O equipamento será inaugurado e entregue à população nesta quinta-feira (3), às 16h, pelo prefeito Ricardo Coutinho (PSB). A obra faz parte do Plano Viário do Governo Municipal para eliminar pontos de congestionamentos na cidade, principalmente nos corredores Pedro II e Epitácio Pessoa. O valor total do investimento foi de R$ 3 milhões, por meio de um convênio da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) com o Ministério dos Transportes.

A solenidade de inauguração vai contar com o desfile de 15 automóveis do Clube do Carro Antigo, que vão sair do anel interno da Lagoa do Parque Solon de Lucena, em direção a avenida José Américo de Almeida (Beira Rio). Entre os modelos que participarão do desfile estão um Chevrolet Beleair de 1953, um Chevrolet Impala 1965 e um MP Laser de 1970.

Benefícios – De acordo com levantamento da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), dos seis principais corredores de transportes existentes na Capital, apenas a avenida José Américo de Almeida (Beira Rio) não possuía ligação com a BR-230. Os benefícios do novo equipamento serão percebidos pela população rapidamente, principalmente pelos motoristas que circulam pelos bairros Jardim Luna, Pedro Gondim e Castelo Branco, locais onde atualmente ocorrem pontos de congestionamento nos horários de maior fluxo.

“A construção das alças da Beira Rio, bem como a primeira e segunda etapa do alargamento da Pedro II, são ações do Governo Municipal com objetivo de dar uma maior fluidez ao trânsito de veículos em João Pessoa”, reforçou o secretário de Infra-Estrutura (Seinfra), João Azevedo.

O equipamento – A obra é composta por duas alças: a alça-1 (que liga a Beira Rio à BR-230, descendo) possui uma extensão de 490 metros, enquanto que a alça-2 (que permite o acesso da BR-230 à Beira Rio, subindo) mede 390 metros.

A construção dos acessos incluiu o alargamento da ponte sobre o rio Jaguaribe, em concreto armado, sendo considerada a parte mais complexa e demorada do serviço, devido à necessidade de reduzir o fluxo de veículos na via para evitar trepidação e o comprometimento da secagem do concreto. A ponte passou de 7 para 10,5 metros. No local, foram executadas também intervenções na parte de urbanização, que compreende a instalação da iluminação ornamental, paisagismo e a sinalização.

Mais ações – João Azevedo explicou que dentro do Plano Viário estão previstas ações de recuperação e implantação de pavimentos em diversos pontos de João Pessoa. As prioridades continuam sendo os maiores corredores e as vias onde trafegam os transportes coletivos. “O Plano Viário pretende dar uma renovada nas vias e implantar ações que melhorem a capacidade de vazão dos veículos na Capital, como foi realizado na Beira Rio e está sendo feito na avenida Pedro II”, enfatizou.