Prefeito Luciano Cartaxo prestigia abertura da 7° edição do Festival Internacional de Música Clássica, que marca grande momento da cultura da Capital

Por Max Oliveira - em 791

Cidade Criativa da Unesco, uma das melhores qualidade de vida do país e agora Capital da música clássica – esta última honraria João Pessoa celebra com o 7° Festival Internacional de Música Clássica, que teve abertura na noite deste domingo (24), no adro da Igreja de São Francisco, onde o Quarteto Jobim, acompanhado da Orquestra Sinfônica Municipal, fez um concerto antológico, executando canções consagradas da Bossa nova. O prefeito Luciano Cartaxo estava entre os presentes ao evento, que está inserido na programação do AnimaCentro e é realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP).

“Nosso Centro Histórico, que já é lindo, se torna ainda mais especial quando a gente vê eventos do porte do Festival de Música Clássica acontecendo nele. O festival já está consolidado dentro da nossa programação de fim de ano, e a abertura nesta noite foi mais um grande sucesso que, com certeza, vai se estender também ao longo desta semana durante os masterclasses e dos quatro concertos que ofereceremos diariamente nas nossas igrejas. E no sábado, encerraremos mais uma edição com Leila Pinheiro homenageando a Bossa Nova junto à Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa”, disse o prefeito Luciano Cartaxo.

O Festival Internacional de Música Clássica, que há sete anos é realizado tradicionalmente no mês de novembro, reunindo músicos dos mais variados  países, simboliza um momento importante para a cultura e o Centro de João Pessoa – as duas coisas andam bem juntas, inclusive. Com intervenções que superam a marca de 50 milhões, o lugar, dono de uma importância incalculável para cidade, vem se transformando, também, em um dos espaços preferidos da população.

“É um evento consolidado e que divulga a cidade não só para o Brasil, mas para o mundo”, disse o diretor-executivo da Funjope, Maurício Burity. “Ainda temos as masterclass, que é uma grande troca de experiências entre músicos daqui e de onze países”, comentou ele.

Clássicos – noite musical foi embalada por obras como “Garota de Ipanema” e “Chega de Saudade”, fruto da parceria entre Tom Jobim e Vinícius de Moraes, além “Sabiá’, de Tom e Chico Buarque de Holanda, entre outras performances executadas pelo Quarteto Jobim e OSMJP. O público da Capital, já habituado com o ambiente dos concertos clássicos, correspondeu ao concerto de abertura em grande número – olhares bem atentos, expressões e gestos de satisfação, numa simbiose junto com os músicos que só a boa música é capaz de produzir.

“O Festival é um catalizador da cultura que está no povo paraibano, que é extremamente culto”, disse o maestro da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa, Laércio Diniz, comemorando a participação de jovens do projeto Ação Social pela Música, da PMJP, dentro da Orquestra, como músicos profissionais. “Alunos que começaram do zero, em 2015, hoje, estão sendo apresentados ao público e tocando junto a músicos consagrados”, destacou.

O professor Antônio Luiz de Lima estava acompanhado da esposa e dos dois filhos e, juntos, viveram uma experiência memorável. “Não é todo dia que a gente tem a oportunidade de assistir a um concerto tão belo, cheio de emoção. Isso só acontece com o Festival Internacional de Música Clássica, que a gente já está acostumado acompanhar. É sempre uma emoção diferente”, afirmou.

Festival – O Festival Internacional de Música Clássica de João Pessoa conta com 22 apresentações (concertos e recitais), 12 masterclasses e mais de 30 atrações. O evento, um dos mais destacados do gênero erudito no Brasil, e que em sua sétima edição homenageia a Bossa Nova, está sendo realizado até o dia 30 de novembro. Para conferir mais notícias, toda programação de concertos, locais, além do perfil dos músicos é só acessar o site oficial do evento www.musicaclassica.joaopessoa.pb.gov.br

AnimaCentro – A programação cultural do domingo em João Pessoa começou mais cedo e contou com opções para todos os gostos e públicos, em vários pontos do Centro. No Parque da Lagoa, aconteceu o espetáculo Os três Porquinhos, produzido pela companhia Argonautas. Já na Praça da Independência, a Banda Infantil Castelo Encantado foi quem divertiu a criançada com canções e brincadeiras, enquanto que, no Parque da Bica, houve o espetáculo infantil do Grupo Arretado Produções.

Para o público adulto, foi realizado o 3° Festival de Sambas de Enredo, com a participação das baterias das escolas de samba do Carnaval Tradição de João Pessoa, no Centro Cultural Parque Casa da Pólvora, em mais uma edição do projeto Pólvora Cultural.