Prefeito nomeia conselheiros e assina termos de tombamentos

Por - em 49

O Prefeito Luciano Agra assinou na tarde desta terça-feira (31) os termos de tombamentos da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes e do Esporte Clube Cabo Branco, além de nomear e dar posse a 32 conselheiros que irão integrar o Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de João Pessoa (COMPACTU/JP). A cerimônia oficial aconteceu no Salão de Convenções da Estação Cabo Branco, no Altiplano.

A solenidade contou com a presença de representantes de entidades culturais de todo o Estado, além de órgãos ligados ao turismo, educação, entidades lojistas, profissionais de engenharia e arquitetura, professores e estudantes.

O prefeito Luciano Agra comentou que começou a se preocupar com o Centro Histórico da Capital quando, na década de 1990, a cineasta Tizuka Yamasaki esteve na cidade e disse que o local não tinha condições de ser cenário para o filme que ela pretendia fazer na época. “Firmo o compromisso com vocês de adesão a esta causa para que a Coordenadoria do Patrimônio Cultural de João Pessoa tenha estrutura permanente neste governo”, garantiu o prefeito.

A coordenadoria nasceu em dezembro de 2007, quando recebeu do Instituto Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) a homologação do Centro Histórico, que inclui cerca de 700 edificações instaladas nos 37 hectares de área demarcada. Diante do fato, a Prefeitura Municipal de João Pessoa, já atuante na área de recuperação e reabilitação de seu patrimônio, criou, através da Lei 11.459 de 18 de junho de 2008, a Coordenadoria de Proteção dos Bens Históricos, atualmente Coordenadoria do Patrimônio Cultural (COPAC).

O coordenador geral da COPAC, jornalista Fernando Moura, abriu os trabalhos e disse que a criação do conselho é mais um passo firme que o Governo Municipal dá rumo à proteção não apenas cultural, mas ambiental e histórica. A coordenadoria é dividida em três núcleos de trabalho, revitalização, educação patrimonial e projetos especiais, que conjugados produzem relevantes trabalhos. Fernando Moura informou que as próximas ações da coordenadoria estão programadas para acontecer ainda este ano, a exemplo da organização e participação em fóruns, simpósios e encontros temáticos.

Para a diretora do IPHAN, Eliane de Castro Machado Freire, a criação da coordenadoria e do conselho é um sonho bastante esperado que agora João Pessoa concretiza. O diretor geral do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAEP), professor Damião Ramos Cavalcanti, parabenizou a ação municipal e disse que a sua expectativa é que os espaços do Centro Histórico sejam ocupados não apenas com cultura, mas que se torne também espaço público para a educação.