Prefeito participa da abertura do 4º Cineport

Por - em 44

A 4ª edição do Festival de Cinema de Língua Portuguesa (Cineport) foi oficialmente aberta na noite de sexta-feira (1º), na Usina Cultural Energisa. Na programação de abertura, a exibição de trechos do filme ‘Sob o Céu Nordestino’, do cineasta Walfredo Rodrigues. Além de exposições fotográficas, um público de aproximadamente três mil pessoas prestigiou o show do bandolinista Hamilton de Hollanda, considerado um dos melhores músicos instrumentais do País.

Na ocasião, o prefeito de João Pessoa Ricardo Coutinho (PSB) falou sobre a importância do Cineport, que foi trazido pela ‘andorinha’ (símbolo do Festival) até a Capital Paraibana. Falou em fusão de esforço e fusão cinematográfica, sustentabilidade e paz. Agora, segundo ele, a andorinha se aninha em casa – se referindo a João Pessoa – e promove um bom debate sobre cinema.

Ele acrescentou que este é o segundo ano realizado na cidade, mas não o último e já sente que o Festival faz parte da Capital. “Estamos compartilhando esse momento do Cineport com a Fundação Ormeo Junqueira Botelho e não será a última vez. Sentimos como se esse Festival já fosse nosso”, relatou.

Além do prefeito de João Pessoa, estavam presentes à solenidade de abertura, o governador da Paraíba, José Maranhão; o presidente da Energisa Paraíba, Marcelo Rocha e a presidente da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, Mônica Peres Botelho. Artistas e cineastas paraibanos e de âmbito nacional, compareceram ao evento.

Filmes – Durante a exibição do filme de estreia – considerado o marco zero da produção cinematográfica paraibana – a Orquestra de Câmara de João Pessoa executou ao vivo uma trilha sonora, composta pelo maestro Carlos Anísio, feita especialmente para este filme da década de 20. Ainda na solenidade de abertura, o Cineport fez uma homenagem ao cineasta Linduarte Noronha, que recebeu o Troféu Humberto Mauro, que foi um dos pioneiros do cinema brasileiro.

O Cineport segue até o dia 10 e serão exibidos 160 filmes, longas e curta-metragem em duas salas de exibição. Entretanto, o Festival, que está sendo realizado pela segunda vez na Capital paraibana, apresentou na primeira noite vários filmes, como ‘Brincantes Visionários’, de Elinaldo Rodrigues; ‘1500 Circular’, de Chico Sales; ‘Na Luta’, de Afonso Manoel da Silva Barbosa e Enver José Lopes Cabral; ‘Amanda e Monick’, de André da Costa Pinto; ‘Uma História de Pescador’, de Lílian Tandaya e ‘Lúcio Lins de Corpo e Barco’, de André Morais e Jorge Bweres.