Prefeito recebe visita de produtores de filme

Por - em 26

A cidade de João Pessoa será o cenário para a gravação de um longa metragem produzido por um grupo internacional. No início da noite desta quinta-feira (10), o prefeito da Capital, Luciano Agra, recebeu alguns produtores do filme em seu gabinete, no Centro Administrativo Municipal (CAM), no bairro de Água Fria. “Sou um apaixonado por cinema e me orgulha muito ver João Pessoa como cenário para uma produção internacional. Esse filme será de grande importância para a capital paraibana”, disse o prefeito.

O encontro serviu para anunciar que as gravações na Paraíba vão começar no próximo mês de setembro e, também, para definir algumas parcerias de apoio a produção cinematográfica. A Prefeitura de João Pessoa (PMJP), que sempre investiu em cultura, se comprometeu em apoiar a produção na parte logística, a exemplo do fornecimento de transporte para atores e equipamentos e no bloqueio do trânsito nas ruas onde serão gravadas as cenas. Este suporte será dado pelas equipes da Superintendência de Transporte e Trânsito (STTrans) e pela Guarda Municipal.

O longa metragem O Grande Kilapy, que deverá ter duração de 90 minutos, terá como diretor o conceituado angolano Zezé Gamboa, que está em João Pessoa fazendo a seleção do elenco. “Só de autores locais serão 15 pessoas em diferentes personagens. Isto sem falar nos figurantes, que em média serão utilizados 350 paraibanos. O protagonista será o ator global Lázaro Ramos, mas também teremos no elenco Maria Ceiça”, revelou a produtora brasileira Assunção Hernandes.

Na comitiva do filme também estavam o representante do produtor português, Pedro Bento; o produtor executivo do filme, Fernando Andrade e o produtor local, Heleno Bernardo. O filme é uma co-produção internacional entre o Brasil, Portugal e Angola. Em agosto as gravações começam em Lisboa (Portugal), depois seguem para João Pessoa (Brasil) e no mês de outubro vão para em Luanda (Angola – África).

Na capital da Paraíba as filmagens levarão pouco mais de dois meses e se concentrarão no Centro Histórico e praia. Toda a parte de cenografia e figurino será produzida com mão de obra local, o que irá contribuir para movimentar a economia.

A escolha de João Pessoa como cenário para as gravações se deu devido à participação do produtor angolano Zezé Gamboa no último Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa (Cineport), realizado na Capital. O diretor ficou surpreso com a semelhança da arquitetura histórica colonial da Capital paraibana com a geografia da cidade de Luanda, capital da Angola, no período de 1965 a 1974, anos em que se passa o enredo do filme.

O diretor– Zezé Gamboa estudou no Liceu Salvador Correia, em Luanda. Nos anos 80, trabalhou como técnico de som em Paris e gravou o seu primeiro filme, o documentário “Mopiopio”: o cotidiano de Angola visto por meio de sua música. Após algumas produções de documentários, em 2002, lançou o primeiro longa: “O Herói”, exibido no Brasil em 2006, no primeiro Cineport. Premiado no Festival de Sundance ano passado, “O Herói” já conta com 18 outros prêmios internacionais.