Prefeito visita 180 famílias do acampamento ’19 de Maio’

Por - em 37

Expectativa de uma nova vida e muita emoção marcaram a visita do prefeito Ricardo Coutinho (PSB) às 180 famílias do acampamento 19 de Maio, no bairro do Alto do Mateus, na tarde desta terça-feira (11). A partir da próxima sexta-feira (14) até o domingo (16), essas famílias serão transferidas para o novo Condomínio Residencial Gervásio Maia, que também abrigará mais de 1.300 famílias que hoje vivem em acampamentos irregulares na Capital. “É um sonho que se realiza. Vamos todos começar uma nova história, mais digna, cidadã e de respeito ao próximo”, comemorou Cleomânia Leopoldina, coordenadora do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM-PB).

Segundo a coordenadora do MNLM-PB, o acampamento 19 de Maio, existe desde 2004, quando um grupo de sem-teto invadiu e loteou o terreno irregularmente. “Não tínhamos para onde ir, muito menos um chão para cuidar de nossas famílias. Naquele momento, essa foi a solução encontrada. Desde então, batalhávamos para regulamentar nossa situação. A gestão do prefeito Ricardo Coutinho está atendendo nosso maior sonho”, explicou.

Ricardo Coutinho lembrou que o investimento para a construção do Condomínio Residencial Gervásio Maia é mais uma parceria de sucesso junto ao Governo Federal, com uma contrapartida de mais de R$ 8 milhões de recursos próprios. “Essa é a prova de que a vontade de fazer pode superar as barreiras das dificuldades. O dinheiro é do povo e é para o povo que deve retornar, em forma de moradia, educação, saúde e infra-estrutura”. Para ele, essa é uma vitória não só das famílias que serão contempladas, mas para toda a cidade.

“Cada um de nós somos protagonistas desta história de luta e vitória. Foi com o suor de todos que chegamos até aqui, com a dedicação do Movimento Nacional de Luta pela Moradia e a paciência dessas famílias, que acreditaram no nosso empenho e na vontade de fazer as coisas acontecerem. Nós trabalhamos habitação com infra-estrutura, onde as famílias poderão exercer a sua cidadania com a dignidade”, enfatizou.

Alexandra Silva, 32 anos, é mãe de quatro filhos e divide com todos eles e o marido apenas um vão que serve como quarto, sala e cozinha. “Moramos aqui por causa da necessidade. Enfrentamos chuva, calor e a falta de segurança para ter pelo menos um teto sob nossas cabeças. Mas isso vai mudar, graças à Prefeitura. Agora teremos uma casa de verdade, com piso sem esgoto na porta, com paredes e telhado”, contou emocionada.

Já Cíntia Cristina do Nascimento, 20 anos, dona de casa, vive no acampamento há mais de três anos. “Eu tenho um filho de 11 meses que não pode brincar no chão por causa da sujeira da rua e do esgoto aberto que passa por todo acampamento. Isso não é lugar para criar uma criança. Quando recebi a notícia que já vou para minha casa, meu coração disparou de tanta felicidade. Tenho certeza que poderei educá-lo em um lugar melhor”, relatou.