Prefeitura amplia equipes e área de trabalho do ‘Ruartes’

Por - em 178

A nova formatação para o programa Ruartes foi lançada na tarde desta quinta-feira (21), no Busto de Tamandaré, na praia de Tambaú, pelo prefeito de João Pessoa (PSB), Ricardo Coutinho. Iniciado como projeto piloto em 2006, o Ruartes contará com um total de 30 profissionais entre educadores e assistentes sociais, psicólogas e motoristas especializados no atendimento a crianças e adolescentes. Estiveram presentes ao evento a juíza aposentada e uma das fundadoras do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, Rita Gadelha e os promotores da Infância e Juventude, Arlley Borges Escorel e Soraya Escorel.

Com a reformulação, o programa que atende crianças e adolescentes em situação de risco nas ruas da Capital passa a funcionar das 9h às 2 horas da manhã, em toda a orla da Capital além do Centro (Lagoa e Terminal Rodoviário) e vários bairros, especialmente, em áreas de feiras livres, onde há maior incidência de crianças e adolescentes na situação de exploração do trabalho infantil.

O prefeito Ricardo Coutinho afirmou que ampliar o Ruartes é investir no trabalho de persistência e convencimento para retirar as crianças e adolescentes da ociosidade nas ruas. Ele destacou o investimento durante mais de três anos no Fundo Municipal dos Direitos da Criança e da Adolescência ultrapassando os R$ 500 mil destinados a projetos que atendem este público. “O Governo Municipal já construiu, em pouco mais de três anos de gestão, onze Centros de Referência da Educação Infantil (Creis) e as unidades de retaguarda para a política sócio-assistencial a crianças e adolescentes, mesmo sabendo que a raiz social do problema está em outras cidades, que são pólos emissores de crianças e adolescentes para a Capital”, frisou.

Como funciona
– O Ruartes funciona com três equipes formadas por técnicos e educadores que desenvolvem as abordagens e oficinas com crianças e adolescentes no espaço da rua. Criado no segundo semestre de 2006, o Ruartes já realizou aproximadamente 300 atendimentos até o final de 2007. Nesse tempo de atividades, foram identificadas 58 crianças e adolescentes. Desse total, a equipe realizou visita às famílias de 49 desses meninos e meninas. Outros foram encaminhados para as casas de acolhimento e as devidas inserções na rede sócio-assistencial.

A juíza aposentada e uma das fundadoras do Movimento Nacional dos Meninos e Meninas de Rua, Rita Gadelha, enfatizou que a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) tem desenvolvimento um trabalho importante para as crianças e adolescentes da Capital. “É uma adesão importante que a Prefeitura de João Pessoa está fazendo ao respeitar o que está previsto no ECA. Lamentavelmente, nem todos os prefeitos estão cumprindo a lei federal. A criança e adolescente deve ser prioridade absoluta, mas a sociedade e o poder público, de modo geral, ainda não os valoriza como deveria. É preciso conscientizar a população do valor e realidade em que vivem as crianças de nosso país”, destacou.

O evento foi animado pelas apresentações do grupo ‘Latocando’, que apresentou rap, axé e variedades percussivas; e o grupo ‘Ruartes’, que levou para o calçadão da orla os elementos do teatro mambembe e as técnicas circenses.