Prefeitura conclui diagnóstico que vai orientar políticas de habitação

Por - em 60

Informações sobre renda, escolaridade, ocupação, situação de moradia atual, documentação do terreno, financiamento, programas do governo, quantidades de moradores por domicílio e condição do imóvel fizeram parte do diagnóstico realizado no setor habitacional da cidade de João Pessoa entre abril de 2006 a outubro de 2010, pela Fundação João Pinheiro (FJP). O resultado foi objeto de análise durante o seminário “Diagnóstico do Setor Habitacional”, ocorrido esta semana na Capital.

Além do Diagnóstico apresentado pela FJP, dados coletados no IBGE e de elementos da Revisão do Plano Diretor de João Pessoa, ocorrida em 2008, foram analisados. Todos os dados, propostas e sugestões dos segmentos representados no seminário comporão uma publicação que tratará das estratégias preliminares do Plano Local de Habitação de Interesse Social (PLHID) e será divulgada dentro de quatro meses.

Segundo o secretário-adjunto da Secretaria Municipal de Habitação (SEMHAB) e coordenador do PLHIS, Gildimar Santos, o encontro foi bastante produtivo e propositivo, tendo alcançado o objetivo que era a sociedade civil organizada conhecer a realidade atual da política habitacional da cidade de João Pessoa e começar a traçar as diretrizes para combater o déficit habitacional do município, tomando como horizonte temporal os próximos 15 anos.

Gildimar disse que este seminário também encerra a segunda etapa do Plano Local de Habitação de Interesse Social formulado pela SEMHAB, em conjunto com as secretarias que fazem a interface com a política de desenvolvimento urbano e representantes da sociedade civil organizada.

O Plano da cidade de João Pessoa foi dividido em Proposta Metodológica, Diagnóstico do Setor Habitacional e as Estratégias de Ação. Participaram da formulação do PLHIS as secretarias de Planejamento, Meio ambiente, Defesa Civil, Desenvolvimento Social e Orçamento Democrático além de sindicatos, movimentos sociais, Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), Caixa Econômica Federal (Cef), Companhia de Habitação Popular (Cehap), e outros.