Prefeitura conclui obras de policlínica no Cristo Redentor

Por - em 38

Está em fase final a reforma e adequação do Centro de Atenção Integral a Saúde (Cais), no Bairro do Cristo Redentor. O serviço irá funcionar como uma policlínica e deverá ser concluído em novembro. As obras, orçadas em R$ 922.418,84, estão sendo executadas pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Infra-estrutura (Seinfra), através de uma parceria entre o Município e o Ministério da Saúde.

A nova unidade hospitalar ocupa uma área de 1.670 mil metros quadrados de área construída e conta com dois pavimentos, onde irão funcionar atendimentos em várias áreas da saúde. O térreo possui recepção e 10 salas para acomodar o laboratório de radiografia, bioquímica e parasitologia, salas de urgência, inalação, primeiros socorros, curativo, ambulatório e consultórios de fisioterapia, serviço social, pediatria, além de farmácia, cozinha, refeitório, lavanderia, necrotério. Existe, ainda, uma bateria de banheiros para o público, funcionários e outros adaptados para deficientes físicos.

No primeiro andar há uma recepção e mais três salas de espera e consultórios de cardiologia, odontologia, nutrição, psicologia, urologia, neurologia, gastroenterologista, ginecologia, pediatria, reumatologia, endocrinologista e pneumologista. Todos os consultórios têm banheiros e ar condicionado. Nesse pavimento, também foram construídas áreas reservadas para a administração, diretoria e sala de reuniões.

A policlínica possui três acessos, onde serão colocadas três marquises em alumínio. A lavanderia da Policlínica dará apoio para as Unidades de Saúde da Família (USF). O prédio possui, ainda, dois depósitos de lixo, um comum e outro hospitalar e dois reservatórios de água com capacidade para 22 mil litros, construído de uma forma para evitar contaminação. “O prédio está em fase de acabamento. Faltando, praticamente, a parte externa como a pavimentação dos acessos, colocação de marquises, derrubar o muro e providenciar a jardinagem”, disse o engenheiro fiscal da obra, Henrique Lott.