Prefeitura recupera espaços públicos e protege história da Capital

Por - em 64

A recuperação de espaços públicos e restauração de bens históricos têm o poder de ‘ressuscitar’ uma cidade. Obras como a recuperação das Praças Venâncio Neiva; Rio Branco; Vidal de Negreiros (Ponto de Cem Reis) Pedro Américo; Anthenor Navarro; Parque Solón de Lucena e Parque Arruda Câmara trazem outros ares para a Capital da Paraíba, que comemora 426 anos nesta sexta-feira (5). Essas obras de revitalização vêm sendo realizadas pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) nos últimos anos, com o objetivo de resgatar os espaços de convivência, seu valor histórico e humanizar a cidade.

Para quem acha a palavra ressuscitar muito forte, basta recordar o que aconteceu como a Praça Vidal de Negreiros. Há exatamente dois anos, quando o espaço, mais conhecido como Ponto de Cem Réis foi inaugurado, a população não tinha a real noção de como aquela obra iria dar vida nova ao Centro de João Pessoa.

Hoje, o local se transformou em referência de como é possível devolver à população áreas de convivência e dar novos usos a espaços que guardam a memória da Capital paraibana, mas passavam despercebidos em meio ao corre-corre urbano.

Para os frequentadores habituais, a reforma e revitalização deram novos significados ao local, que tinha perdido a ‘magia’ que encantava os antigos moradores. O espaço, antes ocupado por menores de rua, estava perdendo seu posto de ponto de encontro de amigos, para um bate papo, um café ou mesmo um divertido jogo de dama.

Orgulho – Dois anos depois da obra realizada pela Prefeitura, o Ponto de Cem Réis revela outra paisagem, traz orgulho para quem frenquenta e arranca elogios para a cidade. O marchante Natanael Roque Nascimento, que mora no bairro do Rangel, não esconde o orgulho de morar em João Pessoa e considera o Ponto de Cem Réis sua segunda casa. “De segunda a sexta, todas as tardes, venho para cá, vê meus amigos, conversar, jogar, me divertir. Esse lugar faz parte da minha vida, desde os cinco anos quando meu pai me trouxe a primeira vez aqui, nunca mais deixei de vir. Essa reforma foi muito boa, ficou muito lindo, eu amo essa cidade”, revelou Natanael Roque, com a voz cheia de orgulho.

O advogado aposentado Valdevir Soares da Fonseca também frequenta diariamente a Praça Vidal de Negreiros. Ele mora em Manaíra, mas ao invés de ficar curtindo a praia, prefere ir ao Centro da Capital para encontrar amigos de muitas décadas e, principalmente, se divertir jogando partidas de dama. “Desde 1953, no tempo que ainda tinha o bonde, o café, a fonte, que venho para o Ponto de Cem Réis. Era aconchegante e agente vinha conversar sobre tudo. Muita coisa mudou e essa reforma deixou muito melhor do que era antes. Eu gostei demais”, confessa enquanto arruma as peças da dama para iniciar mais uma partida.

Valor histórico – E as intervenções da PMJP não agradam apenas a população que teve os espaços públicos devolvidos. Quem entende e estuda a história da Paraíba também aprova as mudanças. O professor e historiador José Otávio de Arruda Melo diz que essas intervenções são muito bem vindas porque preservam e valorizam a história da cidade.

“As restaurações e revitalizações feitas pela Prefeitura Municipal de João Pessoa têm um caráter inovador, porque devolvem à população os espaços que antes estavam esquecidos. Eu vejo de forma bastante positiva a gestão do prefeito Agra, que inclusive foi meu aluno. Não convém alterar profundamente os monumentos, mas fazer adaptações para nossa época como estão sendo feitas é muito válido”, comenta o professor.

De todas as intervenções feitas até agora, a que mais agradou ao professor foi à restauração da Praça Rio Branco. “Ficou uma beleza, a estátua do Barão de Rio Branco que antes era suja, pichada, horrível, agora ta lá imponente, bonita. Com o respeito que a figura do Barão merece pela sua história em prol da Paraíba”, diz.

Outras ações – Além das praças, a PMJP fez e continua fazendo intervenções em outras áreas que a cada dia mudam a cara da terceira cidade mais antiga do Brasil. Como exemplos podemos citar a restauração e aquisição de prédios como a antiga sede do Clube Cabo Branco, onde funciona hoje a Funjope; construção do Centro de Passagem (para ambulantes); construção do Centro de Comércio e Serviço do Varadouro (CCSV) e a reforma do Pavilhão do Chá (Praça Venâncio Neiva) que foi entregue há um ano pelo Prefeito Luciano Agra.

As principais avenidas do Centro, antes ocupadas pelo comércio informal, também foram devolvidas à população e as calçadas estão sendo restauradas, inclusive respeitando as normas de acessibilidade. Hoje, já é possível caminhar tranquilamente pelas ruas Duque de Caxias; Miguel Couto; Padre Meira e Padre Azevedo. Os monumentos que retratam o perfil de grandes homens que contribuíram para a história, não apenas de João Pessoa, mas de toda a Paraíba, também merecem especial atenção da PMJP. Entre tantas restaurações merecem destaque o Monumento a João Pessoa; Busto de Duque de Caxias e Busto de Venâncio Neiva.