Prefeitura de JP reforça ações de políticas de segurança alimentar

Por - em 37

Ampliar e reforçar as ações dentro da política de segurança alimentar desenvolvida pela Prefeitura Municipal de João Pessoa. Essas são algumas das principais metas de governo para este ano de 2012, segundo reforçou o prefeito Luciano Agra, durante reunião nesta quinta-feira (23) com o secretário de Desenvolvimento Social do Município, Lau Siqueira. Na reunião, o gestor garantiu que o governo municipal irá intensificar os projetos e ações de combate à fome na Capital.

“Quando ambicionamos acabar com a fome e enfrentar a pobreza extrema na cidade de João Pessoa, estamos falando de políticas públicas porque acreditamos que este é o caminho para que os governos melhorem a qualidade de vida das populações. E é isso o que queremos reforçar neste ano de 2012: as nossas ações dentro das políticas de segurança alimentar da Prefeitura Municipal de João Pessoa”, ressaltou Luciano Agra.

Entre os projetos em andamento, ou previstas para este ano, o secretário Lau Siqueira reforça que a política de distribuição de alimentos, por exemplo, já começou a ser expandida. “Estamos conseguindo comprar e distribuir gratuitamente, nas áreas mais vulneráveis, mais de 10 toneladas de alimentos da agricultura familiar por dia. Também ampliamos a capacidade do nosso restaurante popular localizado na Lagoa do Parque Solon de Lucena, que hoje vende 1.250 refeições diárias ao preço de R$ 1,00 para o consumidor. E falamos aqui de uma alimentação balanceada e acompanhada por nutricionista”, destacou.

Cozinhas comunitárias – Para os próximos meses, uma das metas definidas pelo prefeito Luciano Agra é a de concluir a adequação das cinco cozinhas comunitárias existentes na Capital.  Com isso, serão distribuídas mais de 1.000 mil refeições diárias, em cada unidade, para famílias previamente indicadas pelo Programa de Saúde da Família (PSF) e Centros de Referência em Assistência Social (Cras).

Lau Siqueira explica ainda que essas cozinhas  também deverão servir uma ceia com produtos adquiridos da agricultura familiar, pelo Programa de Aquisição de Alimentos, em convênio feito pela Prefeitura com o  Ministério de Desenvolvimento Social e combate à Fome.

“Este programa teve uma das melhores execuções do país, reconhecido pelo próprio Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) que nos presenteou com um bônus de mais R$ 1.0017,00 para somarmos aos recursos que já temos em caixa para a aquisição de alimentos”, disse o secretário.

Restaurante popular – Outra meta para este ano é a de inaugurar mais dois restaurantes populares, desta vez nos bairros de Mangabeira e Distrito Mecânico, onde deverão ser servidas entre 700 e 1.000 refeições diárias ao preço de R$ 1,00. Além disso, a PMJP também deverá inaugurar a sede do Programa Compra Direta Local, que servirá como base para triplicar a aquisição e distribuição de alimentos em relação ao ano de 2011.

O prefeito Luciano Agra também definiu que dentro das ações de Desenvolvimento Social do Município, ganharão reforço os projetos que busquem não só combater a fome, como também contribuir para que famílias em situação de vulnerabilidade possam crescer e se desenvolver socialmente.

“Não queremos nos limitar a apenas fornecer complemento alimentar para as populações mais pobres. Já contamos com a aprovação pelo Conselho Municipal da Assistência Social (CMAS) de um projeto de qualificação profissional que iniciamos ano passado, em parceria com a Fundação do IFPB (Funetec), qualificando profissionalmente pessoas beneficiárias do Programa Bolsa Família”, destacou Lau Siqueira.

A este programa, explica o secretário, a Prefeitura de João Pessoa está associando o projeto Cidade Solidária que busca trabalhar com a lógica da Economia Solidária. O projeto teve uma etapa concluída com muito sucesso, entre janeiro e fevereiro deste ano, na praia de Tambaú, com a comercialização de artesanato, gerando renda para 295 famílias de diversos bairros da cidade. “Nosso desafio agora não é apenas o de incluir pessoas no Programa Bolsa Família, mas contribuir para que elas possam seguir para uma situação em que possam aproveitar melhor suas potencialidades e sair de uma situação de vulnerabilidade”, enfatizou Luciano Agra.