Prefeitura e Polícia Federal assinam convênio para recuperar áreas verdes

Por - em 67

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), assina nesta sexta-feira (22) um convênio com a Polícia Federal para recuperação de áreas verdes na cidade. A solenidade acontece às 9h, no espaço Jequitibá, no Parque Arruda Câmara (Bica), bairro do Róger.

O convênio vai permitir o replantio de mudas de árvores nativas na nascente do rio Cuiá, Parque Cuiá e Parque Cabo Branco, estabelecendo uma parceria entre os programas ‘João Pessoa Verde para o Mundo’, da Prefeitura, e ‘Carbono Neutro’, da Polícia Federal.

“O plantio vai contribuir para recuperar áreas degradadas em João Pessoa. É uma forma também de compensar a emissão de carbono na atmosfera, que é feita, por exemplo, por meio da queima de combustíveis dos carros”, afirmou Yuri Rommel, engenheiro florestal da Semam e coordenador do Programa ‘João Pessoa Verde para o Mundo’.

Parceria – Serão plantadas mil mudas produzidas no Viveiro Municipal de Plantas Nativas, a partir das diretrizes estabelecidas no Plano de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, elaborado pela Semam e lançado em novembro de 2010.

A partir desse convênio, caberá à Prefeitura disponibilizar as mudas em condições propícias para o plantio, estabelecer o cronograma e a quantidade de mudas para cada área. O governo municipal também irá coordenar e acompanhar o plantio, fornecendo orientações técnicas aos viveiristas, soldados do exército e servidores da Polícia Federal; além de elaborar relatório de plantio após sua realização e monitorar as mudas para avaliar percentagem de perda e necessidade de substituição.

Já a Polícia Federal deverá ficar responsável pelo apoio de pessoal, que formará uma equipe de trabalho junto com técnicos da Semam para o plantio das mudas, divulgando ainda o programa entre seus servidores, estimulando o envolvimento e a participação nas ações de recuperação.

Mata Atlântica – João Pessoa foi a primeira cidade brasileira a elaborar o Plano da Mata Atlântica. Lançado em novembro de 2010, o Plano foi elaborado pelos técnicos da Divisão de Estudos e Pesquisas (DIEP) da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica.

O Plano é o instrumento norteador das diretrizes ambientais para a gestão municipal, integrando projetos e ações de acordo com leis e códigos ambientais vigentes, especialmente a Lei da Mata Atlântica.