Atalhos


Prefeitura entrega 1.240 casas do Residencial Irmã Dulce
06 set 12

A- A A+

Nesta quinta-feira (6), com a entrega de 1.240 casas do Residencial Irmã Dulce, no bairro Colinas do Sul, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) alcançou a marca de 3,8 mil unidades habitacionais distribuídas entre a população carente da Capital paraibana, desde abril de 2010. O investimento, com recursos dos governos federa l e municipal, foi de R$ 53,839 milhões. Até o final do ano, a meta é beneficiar a população da cidade com mais duas mil unidades – incluindo as do Jardim Veneza, previstas para dezembro.

“O sonho da casa própria foi realizado hoje para mais de 1,2 mil famílias. É um momento muito feliz”, avaliou o prefeito da Capital, Luciano Agra. Além de garantir moradia, a PMJP também vai oferecer mais qualidade de vida aos novos moradores, e por isso o prefeito aproveitou a ocasião da entrega do residencial para assinar a ordem de serviço para a construção de uma Unidade de Saúde da Família (USF) na região. A nova unidade, no valor de R$ 693 mil, servirá à população do Colinas do Sul e de Gramame.

De acordo com Agra, a política de habitação social da prefeitura tem o objetivo de reduzir o déficit por habitação em João Pessoa. “Temos quatro mil casas em construção e duas mil que serão entregues ainda este ano”, disse. Ele destacou que o Irmã Dulce, terceiro empreendimento do programa Minha Casa, Minha Vida em João Pessoa, é o maior já entregue na cidade, e conta com infraestrutura, transportes, e equipamentos de saúde e educação. “A partir do próximo sábado, circularão por aqui três linhas de ônibus”, acrescentou.

Tudo perto – Nas proximidades do conjunto habitacional, a população poderá contar com duas escolas da rede municipal de ensino, dois Centros de Referência em Educação Infantil (Creis) e um posto policial. Segundo o prefeito, 3% das casas foram disponibilizadas para pessoas idosas e com dificuldades de mobilidade. “O empreendimento atende a critérios de acessibilidade”, frisou.

O superintendente da Caixa Econômica Federal, Elan Ferreira de Miranda, destacou o empenho da PMJP na apresentação de projetos e na parceria com a entidade. “Só neste ano, já são mais de duas mil unidades entregues em João Pessoa pelo Minha Casa, Minha Vida, com os residenciais Anayde Beiriz, Manacá e, agora, o Irmã Dulce”, disse ele.

O representante da Federação Paraibana dos Movimentos Comunitários (Fepamoc), Ubiractan Santos, afirmou que a entrega das casas é resultado de uma luta em conjunto. “A PMJP está transformando moradia em cidadania”, disse.

Contratos – Segundo Miranda, as unidades do Jardim Veneza serão entregues no mês de dezembro, mas, no próximo mês, deve ser contratado o financiamento para o conjunto Vieira Diniz. “Por meio desse programa, o Brasil está reduzindo seu déficit habitacional. A Caixa, como banco público, está cumprindo sua missão, bem como a prefeitura”, observou.

Agra fez a entrega simbólica das chaves para a moradora Francineide Barrocas, que se emocionou. “Este projeto beneficia muita gente. Espero que cada um de nós aproveite a oportunidade e conserve o seu patrimônio, porque há muitas pessoas querendo realizar esse sonho”, disse.

Os moradores do residencial Irmã Dulce ficam sujeitos ao pagamento de uma taxa mensal que varia de R$ 25 a 10% do valor do salário, por um período de dez anos. A maioria deles já assinou a documentação necessária de posse das casas, durante a semana.

Alegria – Dos 1.240 imóveis do residencial, 873 estão em nome de mulheres que exercem o papel de chefes de família, como Maria do Carmo, que já se mudou e está arrumando sua casa para viver com os três filhos. “Realizei meu sonho”, destacou ela. Josineide Silvestre, outra moradora, está feliz com a vinda da casa tão esperada. “Eu me inscrevi no Minha Casa, Minha Vida em 2009, mas a espera valeu a pena”, comemorou.

A dona de casa Silvânia Sousa já se mudou e também não contém a alegria por se ver livre do aluguel. “Eu já morava aqui perto, mas era em casa alugada. Com a economia de mais de R$ 200 que vou fazer por mês, vou poder investir na minha casa e no meu filho”, contou.

Imóveis – O residencial Irmã Dulce está dividido em três partes. A parte A abriga 440 famílias, enquanto a B e a C recebem 480 e 320, respectivamente. Os apartamentos custaram, cada um R$ 41 mil, e têm área privativa de 42,03 metros quadrados, com sala de estar/jantar, dois quartos, banheiro social, cozinha, área de serviço e medição individualizada para água e energia.