Prefeitura faz restauração de monumentos em praças públicas

Por - em 27

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) vem realizando o trabalho de recuperação e limpeza das estátuas em praças e cemitérios da cidade. Esse trabalho vem sendo feito desde o início da primeira gestão do prefeito Ricardo Coutinho (PSB). “Antes não havia a preocupação por parte dos gestores públicos em preservar esse patrimônio”, declarou a restauradora de bens culturais, Piedade Farias.

Atendendo solicitações da Secretaria de Infraestrutura do município e da Coordenadoria do Patrimônio Histórico e Cultural (Probech), a Oficina-Escola de João Pessoa, através dos alunos da Oficina de Bens Móveis e Integrados, vem executando trabalho cuidadoso de conservação em alguns monumentos das praças da nossa cidade. “Ao todo são 11alunos entre 18 a 24 anos que fazem parte desse projeto”, ressaltou Piedade Farias que é também instrutora da Oficina.
Alguns monumentos já foram restaurados a respeito da escultura de Augusto dos Anjos, Busto e Pedestal de Pedro Américo, busto de Assis Chateaubrind e o Busto de Epitácio Pessoa.

Por serem construídos em bronze e localizados ao ar livre, os monumentos são acometidos geralmente por diversos tipos de danos, sendo, os mais frequentes, o vandalismo, os excrementos de pássaros e corrosões ocasionadas pela oxidação do metal.
“A oxidação é uma ação degenerativa e progressiva que vai fragilizando esse material e alterando as suas características. Nesse sentido, o nosso trabalho tem sido a eliminação das oxidações através de limpeza adequada a estes bens patrimoniais e, em seguida, fazemos a aplicação de material antioxidante para proteção da camada superficial dos bustos e esculturas”, frisou.

Atualmente, está sendo executando os procedimentos de remoção das oxidações e sujidades no Busto de Vidal de Negreiros, pertencente ao Ponto de Cem Réis. A referida escultura, que data de 1950, é da autoria de Hastílio Dantas, e se encontrava bastante danificada. Esse procedimento, que teve início esta semana, será concluído até o fim de julho, quando voltará ao seu pedestal no local de origem.

Oficina-Escola – A Oficina-Escola, que é dirigida pela Arquiteta Náhya Caju, completará 18 anos de existência ininterrupta no próximo dia 1º de agosto. É uma associação civil sem fins lucrativos e funciona a partir de convênios com o governo municipal, estadual e federal. Apesar da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o desenvolvimento (AECID) ter encerrado recentemente o convênio com a Oficina-Escola, esta se mantém firme e já tem a aprovação do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) para um convênio que visa resgatar o Patrimônio da cidade e os antigos Ofícios, proporcionando capacitação profissional a jovens entre 18 a 24 anos de idade.

Com a aplicação da metodologia “aprenda a fazer fazendo”, a Oficina-Escola, que capacita os alunos nos ofícios de Alvenaria, Marcenaria Geral, Serralharia, Jardinagem e Bens Móveis e Integrados, através de atividades práticas e teóricas, tem trazido de volta ao convívio social jovens de baixa renda. Muitos desses ex-alunos participam, hoje em dia, de obras de restauração, como é o caso da restauração dos forros da Igreja do Carmo, da Igreja da Fazenda da Graça, dos Azulejos do Convento Franciscano.