Prefeitura garante comercialização de pescado a preços baixos na Capital

Por - em 175

sedes_caminhaodopeixe_foto_rafaelapassosA Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio das Secretarias de Trabalho, Produção e Renda (Setrab) e de Desenvolvimento Social (Sedes), vai garantir a comercialização de pescado a quem desenvolve a atividade na Capital, beneficiando a população de baixo poder aquisitivo com a venda de peixe a preços abaixo dos de mercado. A ação será possível com o programa ‘Peixe no Bairro’, que começa a ser executado neste mês.

O Caminhão do Peixe vai percorrer diversos bairros de João Pessoa, vendendo espécies como tilápia, caico e sardinha, além de crustáceos, a preços baixos. De acordo com o secretário do Trabalho, Diego Tavares, esta não é uma ação sazonal, é um programa contínuo. “Ações como estas trazem benefícios para a população, gerando emprego, e a Prefeitura se faz presente, estando mais próxima das famílias”, afirmou ele.

A execução do programa será feita por meio de um termo de parceria entre a PMJP e a Associação de Pescadores e Aquicultores do Vale do Mamanguape (Apavam), que vai adquirir os peixes de pescadores de João Pessoa. “Essa é mais uma ação que alia a geração de emprego e renda e segurança alimentar e nutricional para a população de João Pessoa. Isso demonstra, mais uma vez, o compromisso dessa gestão em melhorar as condições de vida e de cidadania dos nossos moradores “, ressaltou a secretária da Sedes, Marta Moura.

O presidente da Apavam, Nilton Tavares, disse que a operacionalização do programa ‘Peixe no Bairro’ extingue a figura do intermediador na venda de pescado, que normalmente onera o produto em até 30%. “O programa vai garantir nossa comercialização diária de peixe fresco a preços justos para nós e para o consumidor final”, frisou.

Conforme a diretora de Pesca e Aquicultura da Secretaria do Trabalho, Janine Lucena, o Caminhão do Peixe vai transportar em torno de uma tonelada de pescado diariamente. “Este programa vai garantir segurança alimentar à população, principalmente a de baixa renda, com o acesso à proteína de qualidade com este pescado fresco”, afirmou.

Crédito – Diego Tavares ofereceu o Banco Cidadão como credor dos pescadores envolvidos no programa, caso necessitem de recursos para incrementar sua produção.  “Eles poderão investir nas embarcações ou na compra de equipamentos, já que terão uma compra certa do pescado, o que dará capacidade de pagamento do empréstimo”, destacou o secretário.